A HEINEKEN NÃO GOSTA DO SEU BOI E NEM DA SUA VACA!

Pecuarista, semana começou com o preço da @ firme e finalizou com elevação nos preços das 3 categorias: boi gordo, vaca e novilha. Os preços do boi gordo na praça de Cuiabá já está se equiparando aos preços de São Paulo. Sobretudo hoje percebemos aumento nos frigoríficos ao norte do nosso Estado de Mato Grosso que estão pagando R$287 @ vaca para pagamento a vista. Os frigoríficos continuam com suas escalas prejudicadas diante da baixa oferta de boi gordo no mercado.

As pastagens se prejudicaram muito em razão da forte seca e diante do preço da reposição, forçou a retenção de fêmeas diminuindo também a oferta de vaca gorda para o abate. As exportações seguem em ritmo acelerado e sinalizando aumento para os próximos dias, a baixa oferta de carne encontra-se em grande parte do mundo.  Os frigoríficos que atendem o mercado interno continuam retraídos diante dos efeitos atuais no país, já não estão mais abrindo escalas para o boi gordo estão focando apenas na compra de fêmeas.

Diante do retorno do auxílio emergencial pago pelo governo federal e próximo a virada do mês, cria-se expectativa de melhora no consumo de carne por parte da população, fortalecendo o mercado interno. Os programas de qualidade de carne neste momento estão extremamente atingidos em razão do fechamento do comercio em geral, o preço pago na @ novilha angus teve queda de 5% na praça de Cuiabá.

O mercado de grãos e cereais mantém firme e com alta, em especial o milho, que apresentou na última semana um aumento de quase 10% atingindo preço de 80 reais no valor da saca. Reflexos esses em razão do aumento no dólar e atraso do milho safrinha.

O último fim de semana foi marcado pela campanha da Heineken, comemorando o dia mundial sem carne, deu o que falar pelas redes sociais e WhatsApp. O positivo desse fato foi a união demonstrada pelo setor da pecuária, onde sindicatos, pecuaristas, técnicos, vaqueiros e todos envolvidos do setor se posicionaram compartilhando e gerando conteúdos diante de tal desrespeito, sendo o objetivo da Heineken impulsionar o Instagram, esse foi obtido com sucesso pois gerou um crescimento de 10.000% nos comentários. Todavia a repercussão foi muito negativa e a empresa experimentou o sentimento de ver seu produto sendo “literalmente jogado pelo ralo o que deve ser muito amargo.

O churrasco é parte da cultura dos brasileiros e a empresa posicionou que outros alimentos não sendo carne, seria “a opção perfeita para o acompanhamento” da Heineken. Parabéns a todos da pecuária pelo posicionamento, com certeza nossos churrascos não faltarão cervejas, pois temos inúmeras opções de cervejas que nos respeitam e nos valoriza, e esses também devem ser valorizados. 

O Ministério da Agricultura iniciou diálogo junto aos laboratórios de vacina animal através do SINDAN (Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Saúde Animal) junto ao Butantã, propondo a adaptação de plantas que fabricam vacina de aftosa, para produzir a vacina CORONAVAC, acelerando a produção de vacinas na luta contra a Covid-19. O Brasil possui cerca de 30 fábricas de vacinas para saúde animal enquanto para humanos possuímos apenas 2 fábricas.

As desmamas iniciaram em escala maiores nos últimos dias e o mercado da reposição segue firme, o preço do kg do bezerro nelore tem variado de R$ 14 a R$15 dependendo do peso médio. O mercado apresentou oferta de fêmeas angus com preço médio de R$ 13 o kg e 15R$ o macho angus sendo ambos com peso médio de 8@.

Esse foi um pouco da minha semana, contribuir parte da minha rotina com vocês é um grande privilégio. Um ótimo fim de semana e não esqueça churrasco e carne SEM HEINEKEN.

Por Faber Carneiro – Médico Veterinário – Gestor Técnico em Pecuária

Especialista em Sistema de Produção de Bovinos

Especialista em Reprodução de Bovinos

Mestre em Ciências Veterinária – Patologia Doutorando em Biociência Animal  

4 thoughts on “A HEINEKEN NÃO GOSTA DO SEU BOI E NEM DA SUA VACA!

Fechado para comentários.