Abel Braga e Ceni duelam para atingir glória que parecia improvável

Neste domingo (21), às 16h, eles se enfrentarão como comandantes de Flamengo e Internacional, respectivamente, com a taça ao alcance das mãos

Diferentes em muitos aspectos, a começar pela experiência acumulada, as trajetórias de Rogério Ceni, 48, e Abel Braga, 68, convergem em pontos importantes. Nenhum dos treinadores apostava nisto no início do Campeonato Brasileiro, mas cá estão eles, na penúltima rodada, em um duelo decisivo pela conquista do título nacional.

Ceni começou a competição no Fortaleza, que não entrou na disputa com a pretensão de brigar pelo troféu. Abel, além de desempregado, parecia descartado do circuito dos grandes clubes.

Neste domingo (21), às 16h, eles se enfrentarão como comandantes de Flamengo e Internacional, respectivamente, com a taça ao alcance das mãos.

O duelo no Maracanã, com transmissão da TV Globo (RJ, RS e outras praças) e do Premiere, pode terminar com o campeão definido. Para isso, basta que o time colorado ganhe a partida e chegue aos 72 pontos. Nesse caso, não poderá ser alcançado na jornada derradeira do torneio, marcada para a próxima quinta-feira (25).


O cenário mudará em caso de vitória do Flamengo, que assumirá a liderança com um triunfo neste final de semana. Um empate manterá o Internacional com vantagem de um ponto e o deixará com a tarefa de buscar a taça na rodada final, contra o Corinthians, em Porto Alegre, na mesma noite em que os rubro-negros visitarão o São Paulo, na capital paulista.


Seja quem for o técnico campeão, ele terá superado um cenário em que a conquista não parecia algo provável. Não apenas pela situação de Ceni e Abel no início do campeonato, mas também pelo começo do trabalho atual de cada um, com dificuldades, resultados ruins e uma desconfiança grande dos torcedores.


Ceni até chegou com moral ao Flamengo, aclamado pelo trabalho realizado no Fortaleza, mas bastaram algumas partidas para que fosse lembrado seu histórico ruim em times grandes. O ex-goleiro, que teve fracassos à frente do São Paulo e do Cruzeiro, rapidamente passou a ter sua capacidade questionada.

PorFOLHAPRESS