Acolhimento e humanização: Secretaria da Mulher debate políticas públicas para mulheres trans

Na última sexta-feira (18), a Secretaria Municipal da Mulher, juntamente com o Coletivo de Mulheres Trans de Cuiabá realizaram uma roda de conversa, na sede da Secretaria Municipal de Cultura, para debater políticas públicas direcionadas a pessoas trans. Dentre os temas de maior urgência estavam empregabilidade, educação e saúde.

“É simbólico a gente tratar dessas conversas em uma esfera que a gente se sente à vontade, que é a Secretaria da Mulher. Então, deixamos de tratar das políticas para as mulheres trans na Secretaria de Segurança Pública, dentro da Secretaria de Direitos Humanos, não, hoje a gente está na Secretaria da Mulher, afinal de contas, nós somos mulheres, como qualquer outra. E é muito importante pensar em tudo, em todas aquelas vulnerabilidades que atingem as mulheres trans, que é sempre no viés da Educação, Assistência Social, Saúde e Empregabilidade. Precisamos pensar o que vamos abordar em cada ramo desse”, pontuou a advogada Daniella Veyga.

De acordo com o Dossiê dos Assassinatos e da Violência Contra Pessoas Trans de 2019, organizado pela Associação Nacional de Travestis e Transsexuais (Antra), Mato Grosso é o segundo estado com maior índice de assassinatos de pessoas trans por 100 mil habitantes. 

Diante desse cenário, discutir políticas públicas para a aproximação da população trans dos serviços ofertados pelo Município, com atendimento humanizado, que garanta os direitos das mulheres trans, como uso do nome social em todas as esferas do poder público é essencial para a sobrevivência desse grupo minoritário.

No dia 24 de novembro, outro evento promovido pela Secretaria da Mulher, em parceria com o Conselho Municipal da Juventude foi destaque no fomento de políticas públicas para a comunidade LGBTQI+. Foi realizado no Palácio Alencastro, a primeira roda de conversa sobre a importância do exame de próstata para mulheres trans.

Nos últimos meses, a Secretaria promoveu uma série de eventos em uma agenda de 21 dias de ativismo pelo fim da violência doméstica contra as mulheres, que teve início em 20 de novembro e se encerrou no dia 10 de dezembro.

A secretária municipal da Mulher, Luciana Zamproni, destacou que, ao longo dos 21 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres, a Pasta esteve envolvida em uma série de eventos, como a capacitação de profissionais de odontologia da rede municipal de saúde, para sensibilizá-los no atendimento e identificação de vítimas de violência dentro das unidades de saúde, o projeto Sorriso Protetor, feito em parceria com o Conselho Regional de Odontologia (CRO-MT); a Feira Cultural Quariterê Filhos da Resistência, em homenagem ao Dia Nacional da Consciência Negra, para enfatizar a dupla discriminação da mulher negra; a Feira Cultural dos Direitos Humanos das Mulheres, onde foi abordado o empoderamento da mulher no mercado de trabalho; o Dia D de Combate à Violência Doméstica, com palestras da juíza Amini Haddad e da delegada Lízzia Ferraro; o lançamento do Novembro Azul, em parceria com o Conselho Municipal da Juventude, com roda de conversa sobre políticas públicas para a comunidade LGBTQIA+ e palestras de médicos sobre câncer de próstata.

“Nestes meses de novembro e dezembro, a Secretaria da Mulher não parou suas atividades e participou de todas as agendas positivas voltadas para a defesa dos direitos das mulheres cuiabanas e assim seguiremos até o final da gestão, inclusive, com a entrega de cestas de natal para as mulheres atendidas no Espaço de Acolhimento da Mulher Vítima de Violência, do HMC, em parceria com a campanha Natal Sem Fome, da primeira-dama Márcia Pinheiro”, afirmou a secretária.

Por; NAIARA LEONOR