Adolescente simula falso sequestro para brincar em praça

Por Esportes & Notícias

Um adolescente de 12 anos mobilizou todo o aparato da Polícia Civil no município de Nova Xavantina (645 km de Cuiabá) e foi descoberto que um suposto sequestro que ele contou ao pai, na verdade era apenas uma invenção para que ele pudesse brincar em uma praça da cidade.

De acordo com a Polícia Civil, um morador no município enviou em grupos de whatsapp que um suposto sequestrador estaria atuando na cidade e raptando crianças e adolescentes que seu filho chegou inclusive a ser vítima do criminoso.

A mensagem deixou em alerta e pânico a população de Nova Xavantina. O adolescente relatou ao seu pai que foi colocar o lixo na rua, quando foi surpreendido por um suspeito que o golpeou com um soco na cabeça e após tapar sua boca, o colocou em um carro de cor preta e abandonou o adolescente a alguns metros de sua casa.

Após receber a denúncia, os investigadores de Nova Xavantina se mobilizaram para buscar o possível criminoso. Ao analisarem imagens de câmeras onde o adolescente alega que foi raptado, os policiais constataram a falsa informação.

Nas imagens analisadas, os investigadores visualizaram que o adolescente foi a pé até a Avenida Mestre Venâncio de Oliveira e ao se aproximar do referido mercado, o garoto se joga no chão, com o intuito de simular uma queda, rolando na areia para se sujar e ainda entra no terreno baldio para se sujar ainda mais.

Ainda em imagens de segurança de residências próximas a casa do adolescente mostra ele caminhando normalmente pela rua, sem nenhum sequestrador ou suspeito por perto. Depois de analisar as imagens, os policiais intimaram o adolescente e seu pai para prestarem depoimentos.

Após ver as imagens, o adolescente confessou para a polícia que tudo não passou de uma mentira. O garoto revelou que teria mentido para brincar na praça nova do bairro. O adolescente ainda contou que inventou a história de sequestro após ver uma mensagem do mesmo caráter circulando na semana anterior em grupos de troca de mensagens.

A Polícia Civil do município alertou que o adolescente cometeu um crime, além de causar pânico na população e ocupar efetivo e viaturas policiais em atendimento falso, comprometendo ainda o atendimento à sociedade.