Agropecuária cresce US$ 20,45 milhões no acumulado do ano e se torna o único setor com variação positiva na balança comercial brasileira

Conforme números publicados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia, o resultado superavitário de US$ 5,473 bilhões da balança comercial de outubro, com crescimento de 114,6% em relação ao mesmo período do ano anterior, é proveniente, em sua maior parte, da redução das importações. No mês, a queda foi da ordem de -20,0% na comparação entre as médias do mês de outubro/2020 (US$ 619,14 milhões) com a do mês de outubro/2019 (US$ 773,97 milhões).

No acumulado do ano, comparado com igual período do ano anterior, pela média diária, a Agropecuária registrou crescimento de US$20,45 milhões, o equivalente a +11,8%, enquanto a Indústria Extrativa e os produtos da Indústria de Transformação registraram as respectivas reduções: US$ -9,23 milhões (-4,6%) e US$ -68,38 milhões (-13,2%).

Os produtos florestais ganharam destaque dentre os produtos exportados de maior variação por média diária em toneladas. O Látex, borracha natural, balata, guta-percha, guaiúle, chicle e gomas naturais, exportaram o total de 380,3 toneladas somente em outubro/2020, no mesmo mês de 2019, o volume registrado foi de 42,2 toneladas. A Madeira em bruto também obteve volumes expressivos nas exportações: em análise sobre o mesmo período, a diferença foi de 256,5 toneladas.

A soja e o milho não apresentaram bons números de exportação em outubro. No mês, a soja contabilizou um volume exportado de 1,89 milhões de toneladas, enquanto no mesmo período do ano passado este valor esteve em 5 milhões. A média diária do milho, apesar de apresentar um valor bruto menor, apresentou resultados maiores que no ano anterior, US$ 45,8 milhões contra US$ 45,2 milhões de outubro do ano anterior.

Em relação às proteínas animais, o destaque ficou na carne suína, com um aumento de 4,3 mil de toneladas no volume exportado em outubro de 2021 em comparação ao mesmo período do ano passado.

A carne bovina, apesar do recuo nos volumes gerais exportados, apresentou uma média diária de exportação superior em outubro de 2020 em comparação com o mesmo período do ano passado. Enquanto em 2019 a média diária foi de 7,75 mil toneladas, em 2020, este valor foi de 8,16 mil toneladas, alta de 13%.

Fonte: Faeg/Senar