Após resgate dramático, cargueiro holandês à deriva pode virar incidente ambiental

As autoridades temem que um possível naufrágio provoque um vazamento de hidrocarbonetos, já que o navio leva 350 mil litros de óleo combustível, 75 mil de diesel e 10 mil de óleo lubrificante

Um navio cargueiro holandês, com o motor quebrado em circunstâncias dramáticas, flutuava à deriva nesta terça-feira (6) em frente à costa norueguesa, informaram as autoridades marítimas.O Eemslift Hendrika, que sofreu uma forte inclinação depois que uma tempestade deslocou parte de sua carga, fez um pedido de socorro por volta do meio-dia desta segunda-feira (5).

Os 12 membros da tripulação foram salvos pelos serviços de resgate noruegueses em duas operações diferentes: os oito primeiros foram resgatados por helicóptero e os outros quatro precisaram se jogar na água.

Com o motor quebrado, o Eemslift Hendrika continuou à deriva até o litoral norueguês. Na manhã desta terça-feira, estava a cerca de 130 km a noroeste da cidade portuária de Alesund.

As autoridades temem que um possível naufrágio provoque um vazamento de hidrocarbonetos, já que o navio leva 350 mil litros de óleo combustível, 75 mil de diesel e 10 mil de óleo lubrificante.

Espera-se que o vento mude gradualmente a embarcação para um curso paralelo à costa, dando mais tempo à operação de salvamento, disse à Reuters Hans Petter Mortensholm, da Administração Costeira da Noruega.

“Nossos cálculos indicam uma janela de oportunidade para agir, que dura até pouco depois do meio-dia de quarta-feira”, disse ele. “O risco de poluição é a nossa principal preocupação.”

Smit Salvage, subsidiária da empresa holandesa de serviços marítimos Boskalis, disse ter sido contratada para tentar salvar o navio e que está mobilizando uma equipe para enviar à Noruega nesta terça-feira.

Se houver condições de segurança, Smit tentará colocar sua própria tripulação a bordo do Hendrika e conectar o navio a um poderoso rebocador construído para mover plataformas para a indústria de petróleo. “Colocá-lo em um cabo de reboque e em um local mais calmo, esse é o objetivo”, disse o porta-voz da Smit Salvage, Martijn Schuttevaer.

Um navio da guarda costeira norueguesa está de prontidão na área e também pode ser usado para o reboque, disse a Administração Costeira. Construído em 2015 e registrado na Holanda, o Eemslift Hendrika, de 111,6 metros, é um cargueiro que também leva barcos menores em seu convés, de acordo com a Starclass Yacht Transport de Mônaco, que comercializa os serviços do navio.

Uma das embarcações menores amarradas ao convés caiu na tempestade.

Por Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *