Após três dias, EUA ainda não conhecem Presidente. Será hoje?

Os Estados Unidos continuam sem saber quem vai ser o próximo

inquilino da Casa Branca.

À

medida que as horas vão passando, e os votos sendo contados, Joe Biden

vai alargando a sua vantagem em relação a Donald Trump. Porém, tudo continua em aberto, ainda que não haja indícios de que possamos assistir a uma reviravolta nos resultados até agora conhecidos.

Se Trump perder, seguem-se “meses muito perigosos”, diz sobrinha

Recorde-se que são necessários 270 votos do colégio eleitoral

para garantir a presidência dos Estados Unidos. Dados atualizados da Fox News, dão conta de que Joe Biden conta com 253 delegados, contra 213 de Trump. Falta neste momento, concluir a contagem em cinco estados, nomeadamente: Nevada, Pensilvânia, Georgia, Carolina do Norte e Arizona.

Em ataque à democracia, Trump mente ao citar fraudes na eleição americana

Biden ultrapassa Trump na Pensilvânia, avança a CNN. Contagem ainda não está fechada. Se assegurar esta vitória não necessita de ganhar em mais nenhum estado para ser eleito Presidente.

Justiça rejeita ação de Trump para suspender contagem na Pensilvânia

  • Polícia impede ataque a local de contagem de votos na Pensilvânia. A polícia da cidade norte-americana de Filadélfia deteve dois homens depois de uma denúncia de que um ataque armado estava sendo planejado contra um centro de contagem de votos, informou hoje o jornal Philadelphia Inquirer.

Biden passa à frente no estado decisivo da Geórgia

Os investigadores entraram em ação na noite de quinta-feira, depois de receberem informações sobre o movimento suspeito de um veículo Hummer, ocupado por várias pessoas armadas com armas AR-15.

Polícia da Filadélfia investiga plano para atacar local de apuração na cidade

– Uma equipe da campanha de Joe Biden estaria já a fazer um esforço para que os apoiantes e aliados de Biden validem a legitimidade destas eleições. O candidato republicano está ciente de que mesmo que vença as eleições terá que provar a legitimidade da sua própria vitória, algo que ficou ainda mais claro após o discurso da última noite, de Donald Trump.

EUA: Carteiro é preso por cartas não entregues, incluindo votos

– A CNN avança que os advogados da campanha de Trump estiveram trabalhando durante a noite, naquele que teria sido um encontro para justificar as alegações infundadas de Trump sobre fraude eleitoral.

Tensão em Nova York: Mulher cospe no rosto de um policial e é detida

O condado de Clayton, na Geórgia, tem apenas 3.500 de um total de 30 mil votos por correspondência por contar, disse a

diretora do conselho eleitoral do condado, Shauna Dozier, à CNN.

Donald Trump continua a aleganfo que existe fraude nas eleições deste ano. Há poucos minutos, o republicano recorreu ao Twitter para mostrar o seu descontentamento com o rumo que as eleições estão tomando, afirmando que se “esta contagem fosse legal, venceria facilmente” as presidenciais.

Joe Biden afirmou, nesta quinta-feira, que “não tem dúvidas” de quando a contagem terminar, que o partido democrático será o vencedor. Cotinuamos a nos sentir muito confiantes quanto ao rumo que isto está tomando”, afirmou o candidato, acompanhado por Kamala

Harris.

Vídeos e comentários publicados por manifestantes na rede social Twitter dão conta de um forte dispositivo policial, em Nova Iorque, que em muitos casos não se compara à escassa presença de civis, depois de detenções

alegadamente

arbitrárias e utilização de técnicas de intimidação e dispersão.

Imprensa contra discurso de Trump. Algumas das principais estações de televisão dos Estados Unidos, como ABC, CBS e NBC, cortaram o discurso do Presidente no horário nobre, enquanto a Fox News, referência informativa do Partido Republicano, desmentiu as alegações de Donald Trump. Em causa estão as constantes acusação de fraude eleitoral, referidas por Donald Trump.

De lembrar que nesta quinta-feira à noite, mais de 24 horas depois de ter comparecido à uma coletiva de imprensa para declarar vitória nas eleições norte-americanas e falar em tentativa de fraude no processo de contagem de votos, Donald Trump fez uma nova declaração e voltou a insistir na ideia de que estão tentando lhe roubar o triunfo nas eleições.

O presidente não apresentou, no entanto, provas que sustentassem estas afirmações.

Na terceira noite após as eleições presidenciais nos EUA, manifestantes nas ruas de Nova Iorque defenderam a saída de Donald Trump, os direitos de lésbicas, ‘gays’, bissexuais, transexuais e ‘queer’ (LGBTQ) e também dos negros.

Um grupo de mais de uma centena de ativistas afro-americanos se reuniram hoje numa manifestação em frente ao centro de contagem de votos de Filadélfia, exigindo fazer parte da agenda política “ganhe quem ganhar”.

“Esta é a nossa cidade, este é o nosso estado, não somos apenas os ‘negros do Black Lives Matter’, somos mais do que isso e exigimos fazer parte da agenda política ganhe quem ganhar as eleições”, disse o líder do movimento.

Vários republicanos

afastaram-se das tentativas de Donald Trump

declarar vitória sem fundamento e parar a contagem de votos em vários Estados, deixando-o sem aliados importantes enquanto continua atrás de Joe Biden na disputa eleitoral.

Os juízes na Geórgia e Michigan rejeitaram os processos judiciais apresentados pela campanha de Donald Trump, contrariando a estratégia de ataque à integridade do processo eleitoral em estados cujos resultados podem ditar a derrota do presidente nas eleições.

A maior parte dos manifestantes republicanos que protestavam

contra a contagem dos votos por correspondência na cidade de Filadélfia

, Pensilvânia, abandonou o local, durante a noite, fazendo aumentar a discoteca dos democratas que cresceu para o meio da rua.