Arena da Educação participa da maior competição de matemática do mundo

O evento contou com mais de seis milhões de participantes de 80 países; da Arena participaram 180 alunos

Estudantes da Escola Estadual Governador José Fragelli, a Arena da Educação, participaram, nesta terça-feira (23.03), do Projeto Canguru de Matemática, uma competição anual internacional destinada aos alunos a partir 3º ano do Ensino Fundamental até o 3º ano do Ensino Médio. É a maior competição de Matemática do mundo, com mais de seis milhões de participantes de 80 países. A prova ocorreu online, com a participação de 180 alunos da Arena.

Segundo o orientador de matemática e ciências da natureza, Fernando Vieira, a participação nessa competição foi discutida ainda em janeiro, durante a Semana Pedagógica e teve todo um planejamento desenvolvido para estimular e preparar os alunos.

No componente curricular de estudo aplicado de matemática os professores trabalharam questões das provas anteriores e atividades de raciocínio lógico-matemático para motivar os estudantes a participarem. Foram feitas as inscrições de todos os alunos da escola que receberam login e senha exclusivos.

“Estamos ansiosos pelo resultado, que sairá no dia 17 de maio, e confiantes que ganharemos medalhas, pois nos preparamos para a competição”, assinala o professor de matemática, Vitor Tavares.

Tradição em competições

Conforme o professor Flávio de Castro, orientador de Linguagens, a Arena da Educação tem a tradição de participar de projetos e concursos relevantes que valorizem a participação dos nossos estudantes para a evolução do seu conhecimento.

“Estamos confiantes em um bom resultado, pois nossos alunos se prepararam muito bem. Os professores acompanharam todo o processo, inclusive na organização, pois os alunos utilizam uma plataforma específica do evento, podendo utilizar tanto computador como celular. E que venham as medalhas”, comemora.

A competição teve origem na França e é administrada globalmente pela Associação Canguru sem Fronteiras (Association Kangourou sans Frontières – AKSF).

Por Adilson Rosa