Banco Central da Turquia mantém juros em 17% e promete política monetária apertada

O banco central da Turquia manteve a taxa de juros em 17% nesta quinta-feira como esperado após fortes altas no final do ano passado, e afirmou que vai manter a política monetária apertada por um período prolongado e até mesmo fazer mais se necessário para combater a inflação elevada.

O novo presidente do banco, Naci Agbal, havia elevado a taxa de recompra de uma semana em 675 pontos básicos desde novembro para sustentar a lira e conter a inflação, que ficou em 14,6% no mês passado e está em dois dígitos há três anos.

A lira inicialmente enfraqueceu para 7,4275 por dólar após a decisão, antes de se recuperar para 7,3920.

Em comunicado após a reunião do comitê de política monetária, o banco disse que “decidiu manter categoricamente a postura de política monetária apertada por um período prolongado até que indicadores fortes apontem para uma queda permanente na inflação”.

“Aperto adicional da política monetária será adotado se necessário”, disse, acrescentando que o impacto das recentes altas de juros no crédito e na demanda doméstica devem crescer ao longo do tempo.

Em pesquisa da Reuters, a mediana das expectativas era de que não haveria mudança nos juros. Três economistas consultados esperavam alta para 17,50% e outros dois previam 18%.

Lira turca
A lira inicialmente enfraqueceu para 7,4275 por dólar após a decisão, antes de se recuperar para 7,3920 (Imagem: REUTERS/Murad Sezer)

Agbal foi nomeado em novembro como parte de uma mudança inesperada na liderança econômica da Turquia, em que o presidente Tayyip Erdogan prometeu uma nova era amigável ao mercado, incluindo duras decisões para reduzir a inflação.

Mas os investidores ficaram preocupados na sexta-feira passada, quando Erdogan disse que a política monetária apertada não serve à Turquia e repetiu sua visão não ortodoxa de que a solução é cortar os juros para reduzir a inflação.

Por Redação