Bebianno teve carreira política em ascensão interrompida prematuramente

#infocoweb_cabecalho {
display: inline-block;
margin-top: -75px;
position: absolute;
right: 0;
}
figure.wp-caption{display:none!important;}

Gustavo Bebianno arrow-options
Valter Campanato/Agência Brasil

Gustavo Bebianno foi ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República

Gustavo Bebianno, ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República de Jair Bolsonaro, morreu na manhã deste sábado (14). Bebianno era pré-candidato à Prefeitura do Rio de Janeiro pelo PSDB e figura que vinha ganhando relevância na política nacional.

Leia também: Bebianno diz que vai processar Bolsonaro

Advogado por formação, Bebianno entrou formalmente na política em 2018, quando se filiou ao PSL. Um ano antes ele foi apresentado à Bolsonaro e começou a defendê-lo gratuitamente em diversas causas. No período eleitoral chegou a presidir o partido.

Bebianno foi um dos principais fiadores da campanha de Bolsonaro à presidência e era tido como um de seus mais importantes aliados. Ele ficou ao lado do então candidato durante o período posterior à facada e foi um dos primeiros ministros a ser anunciado após a vitória do capitão.

Logo no primeiro mês de governo, no entanto, Bebianno protagonizou a primeira crise do governo Bolsonaro. Na época, Bebianno estava sendo investigado por denúncias de uso de candidaturas-laranja nas eleições no caso que ficou conhecido como ” laranjal do PSL “. Ele discutiu publicamente com o filho do presidente e vereador do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro (PSC) e, pouco depois, deixou o governo . O ex-ministro afirmou publicamente que havia sido demitido por Carlos.

Bebianno  deixou o PSL em junho de 2019. Em dezembro do mesmo ano  se aproximou do governador de São Paulo , João Doria, e se filiou ao PSDB . Também neste mês o ex-ministro afirmou que tinha arquivos guardados fora do Brasil com informações relacionadas a Bolsonaro e ao governo.

Leia também: Ex-ministro diz duvidar que Bolsonaro tenha prova de fraudes nas eleições

No começo de março deste ano, ao lado de Doria, ele anunciou sua pré-candidatura à Prefeitura do Rio de Janeiro. No início desta semana, o governador do Rio elogiou Bebianno como candidato .

Fonte: IG Política