Botelho desconta salrio e V.I. de Xuxu, que sugere perseguio

Normal
0

21

false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin-top:0cm;
mso-para-margin-right:0cm;
mso-para-margin-bottom:10.0pt;
mso-para-margin-left:0cm;
line-height:115%;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-language:EN-US;}

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), promoveu sua primeira punição na noite da última terça-feira (10). Ele descontou parte da verba indenizatória (V.I) e do ponto do deputado Xuxu Dal Molin (PSC).

 

Na semana passada, Botelho havia afirmado que o corte seria feito caso os parlamentares não comparecessem ao “mutirão” de votações agendadas para o decorrer desta semana com o objetivo “de limpar a pauta” da Casa.

 

Cada parlamentar recebe uma Verba Indenizatória de R$ 65 mil, além do salário de R$ 25 mil.

 

“Não aconteceu nada de mais. Apenas que, quem faltou será descontado. A verba indenizatória também é para exercer o mandato. Se está faltando uma de suas funções, é permitido ao presidente fazer o corte. E isso será proporcional à sessão. Dá algo em torno de R$ 3 mil por sessão”, afirmou Botelho.

 

Foi falado na semana passada que não aceitaríamos justificativa, a não ser que o deputado estivesse doente. Até brinquei que também valeria certidão de óbito. Agora, essa justificativa de inauguração, isso não foi aceito

Ele admitiu, inclusive, não ter levado em consideração a justificativa apresentada por Xuxu para se ausentar da sessão na noite de ontem.

 

O parlamentar alegou que participava do 6º Encontro Pós-Colheita, em Sorriso, onde se discutia a BR-163. E também esteve em Lucas do Rio Verde, na inauguração de uma unidade do Senai.

 

“Foi falado na semana passada que não aceitaríamos justificativa, a não ser que o deputado estivesse doente. Até brinquei que também valeria certidão de óbito. Agora, essa justificativa de inauguração, isso não foi aceito”, acrescentou o presidente.

 

“Perseguição”  

 

Xuxu Dal Molin, por sua vez, sugeriu ter sido usado como “isca” pelo presidente Eduardo Botelho.

 

“Minha justificativa foi lida e não foi aceita. Concordo com o corte, mas temos que ter regras. Não pode ser conforme o vento. Semana passada vários não estiveram aqui, não votou nada. Aí essa semana represou [as pautas] e estão usando o deputado Xuxu Dal Molin como uma isca”, disse.

 

Ao ser “lembrado” pela imprensa que Botelho já havia convocado os parlamentares para o “mutirão” de votação, Xuxu rebateu: “Mas eu tinha uma agenda já. Não posso viver do que eles querem pra hoje. Tenho minha programação. Temos 24 deputados. O que temos que ter aqui é quórum. Se faltou 1, 2, 3.. a Casa continua funcionando”.

 

“Tudo tem que ter justificativa, o que não pode ter aqui é maldade, sacanagem ou perseguição. Gosto muito do presidente, dos demais deputados. Acho que temos que ter integração e trabalhar”, concluiu.

 

Leia mais sobre o assunto:

Botelho critica colegas faltosos e diz que cortará V.I. de R$ 65 mil