BTG Pactual realiza segunda edição do seu programa de aceleração de ONGs e OSCs

O BTG Pactual (BPAC11) abrirá amanhã as inscrições para a nova rodada do BTG Soma, programa lançado em agosto do ano passado com o objetivo de profissionalizar e acelerar ONGs e OSCs (organizações não governamentais da sociedade civil).

Para participar da seleção, as instituições precisam atender certos pré-requisitos. Além de ser uma organização sem fins lucrativos, ela precisa ter tempo de existência formal de, no mínimo, três anos, receita anual mínima de R$ 300 mil, disponibilidade da alta liderança para as atividades, ter uma equipe fixa e remunerada e não estar atrelada a outro programa de aceleração no mesmo período do BTG Soma.

As instituições também precisam contribuir com os pilares de atuação social defendidos pelo BTG: Empreendedorismo, Educação e Meio Ambiente.

A tarefa de escolher as organizações ficará para um comitê social, em conjunto com a consultoria da Ação Social para Igualdade das Diferenças (ASID Brasil) e a área de Responsabilidade Social.

O BTG selecionará dez instituições com impacto social significativo em sua região de atuação e que precisam de apoio profissional e estrutural para expandir o alcance das atividades. As selecionadas receberão 100 horas de capacitação lideradas em sua grande maioria por profissionais com experiência na realidade do terceiro setor, além de workshops e mentorias com colaboradores e sócios do banco, como o CEO Roberto Sallouti.

Cada uma das organizações terá quatro mentores, que serão voluntários do BTG. Todo o programa e acompanhamento terá duração de aproximadamente 12 meses.

As instituições aprenderão sobre marketing, planejamento estratégico, modelos de negócio, finanças, avaliação de impacto, propostas de expansão e captação de recursos.

As inscrições estarão abertas até 4 de fevereiro.

Essa é a segunda edição do BTG Soma. Na sua estreia, o programa contou com a participação de seis ONGs: Ballet de Paraisópolis, PROA, Instituto Tiago Camilo, Instituto DOM, Moinho Cultural e Mano Down.

por Diana Cheng