Café chega ao terceiro dia de alta no Brasil; confira os destaques desta quinta

  • Boi: demanda fraca limita pressão de valorização para a arroba, diz Safras & Mercado
  • Milho: cotações têm alta leve
  • Soja: saca tem ligeira queda e negócios seguem lentos
  • Café: preços sobem pelo terceiro dia no Brasil e em Nova York
  • No exterior: núcleo da inflação ao consumidor fica abaixo do esperado nos EUA
  • No Brasil: Ibovespa fica estável e dólar segue volátil

Agenda:

  • Brasil: dados das lavouras do Rio Grande do Sul (Emater)
  • EUA: índice de preços ao produtor de julho
  • EUA: exportações semanais de grãos
  • Boi: demanda fraca limita pressão de valorização para a arroba, diz Safras & Mercado

Boi: cotações estáveis 

De acordo com a consultoria Safras & Mercado, a arroba do boi gordo negociada em São paulo, capital, voltou a cair de R$ 318 para R$ 317, na modalidade a prazo. A expectativa de altas na primeira quinzena de agosto não se consolidou em virtude da pequena reação pelo lado da demanda. Segundo o analista Fernando Iglesias, com as limitações do consumo doméstico, o resultado depende do exterior.

Na B3, os contratos futuros do boi gordo tiveram um dia em que as cotações ficaram praticamente estáveis, mas com leves altas predominando. O vencimento para agosto passou de R$ 317,15 para R$ 318,20, do outubro foi de R$ 323,60 para R$ 323,75 e do novembro foi de R$ 329,00 para R$ 329,95 por arroba.

Milho: cotações têm alta leve

O indicador do milho do Cepea, calculado com base nos preços praticados em Campinas (SP), teve um dia de preços levemente mais altos. A cotação variou 0,19% em relação ao dia anterior e passou de R$ 98,16 para R$ 98,35 por saca. Portanto, no acumulado do ano, o indicador teve uma alta de 25,05%. Em 12 meses, os preços alcançaram 81,19% de valorização.

Na B3, a curva de contratos futuros do milho chegou ao segundo dia com alta consistente e alguns vencimentos já voltaram a superar R$ 100 por saca. O ajuste do vencimento para setembro passou de R$ 98,21 para R$ 99,15, do novembro foi de R$ 98,80 para R$ 99,82 e do março de 2022 passou de R$ 99,78 para R$ 100,53 por saca.

Soja: saca tem ligeira queda e negócios seguem lentos

O indicador da soja do Cepea, calculado com base nos preços praticados no porto de Paranaguá (PR), teve um dia de preços ligeiramente mais baixos. A cotação variou -0,17% em relação ao dia anterior e passou de R$ 170,68 para R$ 170,39 por saca. Desse modo, no acumulado do ano, o indicador teve uma alta de 10,71%. Em 12 meses, os preços alcançaram 37,36% de valorização.

Na bolsa de Chicago, os contratos futuros da soja também apresentaram ligeira valorização novamente. O vencimento para novembro teve uma alta diária de 0,25% e passou de US$ 13,366 para US$ 13,40 por bushel. Nesta quinta-feira, 12, o mercado deve ganhar velocidade nas negociações com a divulgação do relatório do USDA.

Café: preços sobem pelo terceiro dia no Brasil e em Nova York

De acordo com a Safras & Mercado, as cotações do café no mercado brasileiro tiveram sustentação dos ganhos na Bolsa de Nova York pelo terceiro dia. No sul de Minas Gerais, o arábica bebida boa com 15% de catação passou de R$ 1.020/1.030 para R$ 1.030/1.035, enquanto que no cerrado mineiro, o bebida dura com 15% de catação passou de R$ 1.025/1.030 para R$ 1.040/1.045 por saca.

Na bolsa de Nova York, os contratos futuros do café arábica tiveram alta consistente pelo terceiro dia consecutivo. O dia foi marcado por elevada volatilidade em virtude dos ajustes para rolagem dos contratos mais líquidos de setembro para dezembro. O vencimento para dezembro subiu 1,03% no dia e passou de US$ 1,851 para US$ 1,87 por libra-peso.

No Exterior: núcleo da inflação ao consumidor fica abaixo do esperado nos EUA

O núcleo da inflação ao consumidor de julho nos Estados Unidos ficou abaixo das expectativas e aliviou temporariamente a tensão dos investidores com a aceleração dos índices de preços. O cálculo do núcleo é importante, pois exclui da cesta de consumo os itens mais voláteis. O indicador ficou em 0,3% no mês, ante projeção de 0,4% e o índice completo ficou em linha com as estimativas e teve variação de 0,5%.

O alívio com a inflação sustentou nova alta para os índices de ações norte-americanos. Na agenda econômica de hoje, dados de inflação seguem no radar dos investidores. Desta vez, a divulgação será do índice de preços ao produtor nos EUA em julho. Além disso, também serão divulgados os pedidos semanais de seguro-desemprego.

No Brasil: Ibovespa fica praticamente estável e dólar segue volátil

O Ibovespa ficou praticamente estável e teve uma queda de 0,12%, fechando o dia cotado aos 122.056 pontos. Enquanto isso, o dólar comercial seguiu com volatilidade elevada e subiu 0,47%, cotado a R$ 5,221. O cenário político, agora com a discussão sobre o projeto de Reforma no Imposto de Renda, é o principal ponto de atenção no mercado brasileiro.

As vendas do varejo de junho decepcionaram as expectativas dos analistas de mercado. O dado divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou queda de 1,7% na comparação mensal, após dois meses de alta. As projeções eram de uma elevação de 0,7%. Foi a maior retração do indicador em 2021.

  • Boi: demanda fraca limita pressão de valorização para a arroba, diz Safras & Mercado
  • Milho: cotações têm alta leve
  • Soja: saca tem ligeira queda e negócios seguem lentos
  • Café: preços sobem pelo terceiro dia no Brasil e em Nova York
  • No exterior: núcleo da inflação ao consumidor fica abaixo do esperado nos EUA
  • No Brasil: Ibovespa fica estável e dólar segue volátil

Agenda:

  • Brasil: dados das lavouras do Rio Grande do Sul (Emater)
  • EUA: índice de preços ao produtor de julho
  • EUA: exportações semanais de grãos
  • Boi: demanda fraca limita pressão de valorização para a arroba, diz Safras & Mercado

Boi: cotações estáveis 

De acordo com a consultoria Safras & Mercado, a arroba do boi gordo negociada em São paulo, capital, voltou a cair de R$ 318 para R$ 317, na modalidade a prazo. A expectativa de altas na primeira quinzena de agosto não se consolidou em virtude da pequena reação pelo lado da demanda. Segundo o analista Fernando Iglesias, com as limitações do consumo doméstico, o resultado depende do exterior.

Na B3, os contratos futuros do boi gordo tiveram um dia em que as cotações ficaram praticamente estáveis, mas com leves altas predominando. O vencimento para agosto passou de R$ 317,15 para R$ 318,20, do outubro foi de R$ 323,60 para R$ 323,75 e do novembro foi de R$ 329,00 para R$ 329,95 por arroba.

Milho: cotações têm alta leve

O indicador do milho do Cepea, calculado com base nos preços praticados em Campinas (SP), teve um dia de preços levemente mais altos. A cotação variou 0,19% em relação ao dia anterior e passou de R$ 98,16 para R$ 98,35 por saca. Portanto, no acumulado do ano, o indicador teve uma alta de 25,05%. Em 12 meses, os preços alcançaram 81,19% de valorização.

Na B3, a curva de contratos futuros do milho chegou ao segundo dia com alta consistente e alguns vencimentos já voltaram a superar R$ 100 por saca. O ajuste do vencimento para setembro passou de R$ 98,21 para R$ 99,15, do novembro foi de R$ 98,80 para R$ 99,82 e do março de 2022 passou de R$ 99,78 para R$ 100,53 por saca.

Soja: saca tem ligeira queda e negócios seguem lentos

O indicador da soja do Cepea, calculado com base nos preços praticados no porto de Paranaguá (PR), teve um dia de preços ligeiramente mais baixos. A cotação variou -0,17% em relação ao dia anterior e passou de R$ 170,68 para R$ 170,39 por saca. Desse modo, no acumulado do ano, o indicador teve uma alta de 10,71%. Em 12 meses, os preços alcançaram 37,36% de valorização.

Na bolsa de Chicago, os contratos futuros da soja também apresentaram ligeira valorização novamente. O vencimento para novembro teve uma alta diária de 0,25% e passou de US$ 13,366 para US$ 13,40 por bushel. Nesta quinta-feira, 12, o mercado deve ganhar velocidade nas negociações com a divulgação do relatório do USDA.

Café: preços sobem pelo terceiro dia no Brasil e em Nova York

De acordo com a Safras & Mercado, as cotações do café no mercado brasileiro tiveram sustentação dos ganhos na Bolsa de Nova York pelo terceiro dia. No sul de Minas Gerais, o arábica bebida boa com 15% de catação passou de R$ 1.020/1.030 para R$ 1.030/1.035, enquanto que no cerrado mineiro, o bebida dura com 15% de catação passou de R$ 1.025/1.030 para R$ 1.040/1.045 por saca.

Na bolsa de Nova York, os contratos futuros do café arábica tiveram alta consistente pelo terceiro dia consecutivo. O dia foi marcado por elevada volatilidade em virtude dos ajustes para rolagem dos contratos mais líquidos de setembro para dezembro. O vencimento para dezembro subiu 1,03% no dia e passou de US$ 1,851 para US$ 1,87 por libra-peso.

No Exterior: núcleo da inflação ao consumidor fica abaixo do esperado nos EUA

O núcleo da inflação ao consumidor de julho nos Estados Unidos ficou abaixo das expectativas e aliviou temporariamente a tensão dos investidores com a aceleração dos índices de preços. O cálculo do núcleo é importante, pois exclui da cesta de consumo os itens mais voláteis. O indicador ficou em 0,3% no mês, ante projeção de 0,4% e o índice completo ficou em linha com as estimativas e teve variação de 0,5%.

O alívio com a inflação sustentou nova alta para os índices de ações norte-americanos. Na agenda econômica de hoje, dados de inflação seguem no radar dos investidores. Desta vez, a divulgação será do índice de preços ao produtor nos EUA em julho. Além disso, também serão divulgados os pedidos semanais de seguro-desemprego.

No Brasil: Ibovespa fica praticamente estável e dólar segue volátil

O Ibovespa ficou praticamente estável e teve uma queda de 0,12%, fechando o dia cotado aos 122.056 pontos. Enquanto isso, o dólar comercial seguiu com volatilidade elevada e subiu 0,47%, cotado a R$ 5,221. O cenário político, agora com a discussão sobre o projeto de Reforma no Imposto de Renda, é o principal ponto de atenção no mercado brasileiro.

As vendas do varejo de junho decepcionaram as expectativas dos analistas de mercado. O dado divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou queda de 1,7% na comparação mensal, após dois meses de alta. As projeções eram de uma elevação de 0,7%. Foi a maior retração do indicador em 2021.

Canal Rural © 2020 Todos os direitos reservados.

Canal Rural © 2020 Todos os direitos reservados.