Cinema tradicional de SP fecha um ano após fim de patrocínio da Petrobras

O Cinearte do Conjunto Nacional , um dos cinemas mais tradicionais de São Paulo, na Avenida Paulista, fechou as portas na noite desta quarta-feira (19). A última sessão foi do filme “Parasita”, às 21h30.

Leia também: Filme brasileiro vai concorrer ao Urso de Ouro no Festival de Berlim

Cinema do Conjunto Nacional arrow-options
Reprodução/Wikipedia

Cinema do Conjunto Nacional


O espaço de duas salas, inaugurado em 1963 com o nome de Cine Rio , não tem patrocinador desde o começo de 2019. O último contrato, com a Petrobras , durou de maio de 2018 até março do ano passado, quando a empresa decidiu não renovar a parceria, surpreendendo o exibidor do cinema , Adhemar Oliveira. Antes, o local teve patrocinadores como Bombril , a partir de 2005, e Livraria Cultura , de 2010 a 2015.

Leia também: Luto: José Mojica Martins, o Zé do Caixão, morre aos 83 anos

Com aluguel caro, o local enfrenta problemas para se manter desde o começo dos anos 2000. Em 2003, para ajudar na manutenção do lugar, frequentadores chegaram a se mobilizar por meio de um abaixo-assinado e de uma “vigília”, com exibição de filmes durante uma madrugada completa em abril daquele ano. Pela atenção dada tradicionalmente a filmes nacionais, o protesto envolveu cineastas e cinéfilos da cidade.

Leia também: Produção do filme de Roberto Carlos está atrasada por causa do Rei

Ao todo, as salas podiam receber até 400 espectadores (300 na sala 1 e 100 na sala 2). Os espaços eram disputados especialmente no período da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, que costuma instalar uma central no saguão em frente às salas.

Fonte: IG GENTE