CMN congela recursos do Funcafé para apoiar cafeicultores afetados pela geada

O Conselho Monetário Nacional (CMN) autorizou nesta terça, 17, o congelamento de R$ 1,320 bilhão do Funcafé. Esse valor será destinado às ações de apoio aos produtores que foram afetados pelas geadas. As condições de disponibilização deste recurso ainda serão definidas pelo comitê técnico do conselho deliberativo da política do café.

O crédito congelado pelo CMN servirá como uma espécie de reserva de contingência. No início do mês, o Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC) decidiu separar R$ 1,320 bilhão, dos quase R$ 6 bilhões aplicados na safra 2021/22, para ações de apoio aos produtores que sofreram com a ocorrência de geadas no último mês. Esse movimento foi aprovado nesta terça-feira pelo presidente do banco central, o ministro da economia e o secretário especial de fazenda.

Dessa forma, o crédito para financiamentos de custeio, capital de giro, comercialização e aquisição de café fica reduzido nas próximas semanas. Para o diretor de comercialização e abastecimento do Ministério da Agricultura (Mapa), Silvio Farnese, os produtores de café não devem sofrer escassez de recursos.

O valor congelado deve ser disponibilizado novamente aos cafeicultores entre setembro e outubro. As condições de oferta ainda serão definidas pelo CDPC, tendo como base os laudos técnicos da Conab, em relação à extensão das perdas e danos.

Assim que essas condições forem estabelecidas, elas serão encaminhadas para aprovação do Conselho Monetário Nacional. Somente após este processo é que os produtores poderão acessar o capital na ponta.

O Conselho Monetário Nacional (CMN) autorizou nesta terça, 17, o congelamento de R$ 1,320 bilhão do Funcafé. Esse valor será destinado às ações de apoio aos produtores que foram afetados pelas geadas. As condições de disponibilização deste recurso ainda serão definidas pelo comitê técnico do conselho deliberativo da política do café.

O crédito congelado pelo CMN servirá como uma espécie de reserva de contingência. No início do mês, o Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC) decidiu separar R$ 1,320 bilhão, dos quase R$ 6 bilhões aplicados na safra 2021/22, para ações de apoio aos produtores que sofreram com a ocorrência de geadas no último mês. Esse movimento foi aprovado nesta terça-feira pelo presidente do banco central, o ministro da economia e o secretário especial de fazenda.

Dessa forma, o crédito para financiamentos de custeio, capital de giro, comercialização e aquisição de café fica reduzido nas próximas semanas. Para o diretor de comercialização e abastecimento do Ministério da Agricultura (Mapa), Silvio Farnese, os produtores de café não devem sofrer escassez de recursos.

O valor congelado deve ser disponibilizado novamente aos cafeicultores entre setembro e outubro. As condições de oferta ainda serão definidas pelo CDPC, tendo como base os laudos técnicos da Conab, em relação à extensão das perdas e danos.

Assim que essas condições forem estabelecidas, elas serão encaminhadas para aprovação do Conselho Monetário Nacional. Somente após este processo é que os produtores poderão acessar o capital na ponta.

Canal Rural © 2020 Todos os direitos reservados.

Canal Rural © 2020 Todos os direitos reservados.