Com 75 anos, conselheiro desceu correndo 16 andares para desaparecer com cheques

Por Esportes & Notícias

Preso na manhã desta quarta-feira (1) por obstruir a Justiça, o conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Waldir Teis, teria descido 16 lances de escada a fim de sumir com cheques que comprovariam propina. A ação foi flagrada por policiais federais que realizavam busca no prédio em que o acusado mantém escritório.

Teis foi afastado em 2017, durante a Operação Malebolge, que apura desvios durante a gestão do ex-governador Silval Barbosa (sem partido). A delação do ex-gestor deu base para algumas operações policiais, entre elas a Ararath e a Malebolge.

No último dia 17 de junho, a Polícia Federal realizada busca e apreensão em 19 endereços, um deles, o edifício Maruanã, onde Teis tem escritório. Ao perceber a polícia, ele destruiu os cheques e desceu os 16 andares pela escada, para jogar resto do papel destruído na lixeira do prédio. O réu tem 75 anos.

Os policiais encontraram os canhotos dos cheques, que somavam R$ 450 mil. Porém, o acusado não pode ser preso na oportunidade por possuir imunidade perante crime que permite fiança.

Teis foi denunciado por atrapalhar as investigações, na terça-feira (30) pelo Ministério Público Federal (MPF) e a determinação para a prisão partiu do Raul Araújo, relator da Operação Ararath no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O conselheiro foi encaminhado para sala de estado maior, no Centro de Custódia da Capital (CCC), onde irá cumprir a prisão preventiva. Ele é acusado de corrupção, ativa, passiva e lavagem de dinheiro.