Comitê Paralímpico Brasileiro pagará até R$ 160 mil por medalha em Tóquio

Faltando nove dias para a cerimônia de abertura dos Jogos Paralímpicos de Tóquio-2020, o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) anunciou que pagará R$ 160 mil para cada medalhista de ouro em modalidades individuais. As demais medalhas e esportes por equipe têm valores diferentes a serem repartidos entre aqueles que alcançarem posição no pódio.


Quem conquistar medalha de ouro em esporte individual garantirá a maior quantia. A prata renderá R$ 64 mil, e o medalhista de bronze terá direito a R$ 32 mil.

Em modalidades disputadas de forma coletiva, por equipes, revezamentos e em duplas, a premiação individual terá valor inferior. O ouro valerá R$ 80 mil para cada integrante, a prata, R$ 32 mil. A conquista do bronze vai gerar uma gratificação de R$ 16 mil.

De acordo com o presidente do CPB, Mizael Conrado, atletas-guia, calheiros, pilotos e timoneiros que forem ao pódio também serão gratificados. Eles receberão 20% do valor da maior medalha conquistada por seu atleta e 10% para cada uma das demais posições alcançadas no pódio.

“O esporte tem uma capacidade de resiliência que é inigualável. Esperamos ter muitas razões para celebrar logo depois do final dos Jogos Paralímpicos. Desejamos que os atletas possam buscar a realização de tudo aquilo que se prepararam ao longo desses cinco anos e que consigam a melhor participação da nossa história”, declarou Mizael Conrado.

Os Jogos Paralímpicos têm início na capital japonesa programado para o dia 24 de agosto. O encerramento será em 5 de setembro.