Criminosos que sequestraram casal para cobrar dívida são presos

Por Esportes & Notícias

A Polícia Civil, em ação da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), prendeu quatro pessoas envolvidas em crime de extorsão qualificada praticada contra um casal, na tarde de quinta-feira (10), em Cuiabá. No crime praticado a mando de um agiota, as vítimas tiveram a liberdade cerceada pelos criminosos, sendo submetidas a horas de ameaças e violência moral.

As investigações iniciaram após o irmão da vítima procurar a equipe da GCCO relatando que o seu irmão e sua cunhada foram abordados em casa pelo agiota e sua esposa na companhia de outros quatro homens armados que teriam ido até o local para cobrar uma dívida.

Na residência do casal, no bairro Santa Cruz II em Cuiabá, os suspeitos passaram a fazer diversas ameaças de violência física, além de realizar buscas por dinheiro, joias e a avaliação de bens que poderiam quitar a dívida, como duas motocicletas e um veículo da família.

Segundo a delegada da GCCO, Juliana Chiquito Palhares, o agiota e sua esposa estavam na casa acompanhando a ação dos suspeitos e a avaliação dos objetos que era feita por um gerente do grupo. “Na avaliação realizada pelos envolvidos, uma veículo com valor de mercado aproximado R$ 36 mil era avaliado por R$ 15 mil, objetivando o pagamento total do crédito tomado pelas vítimas com o agiota”, disse.

Durante a ação criminosa, as vítimas foram constrangidas a deixarem a própria casa sendo levados pelos suspeitos para um apartamento desocupado, na região do bairro Santa Rosa, que seria de propriedade do agiota. No local, as vítimas sofreram grave violência moral, sendo ameaçadas de violência física não só contra eles, mas também contra as filhas e familiares, sob a alegação de que de alguma forma eles teriam que quitar a dívida.

Enquanto a ocorrência era registrada na GCCO, a vítima entrou em contato com irmão pedindo que ele buscasse a chave de uma residência do pai deles e o encontrasse no bairro Cidade Verde, pois ele também entregaria o imóvel como forma de quitar a dívida com os criminosos.

Neste momento a equipe da GCCO encontrou a oportunidade para averiguar a situação, indo ao encontro dos suspeitos e das vítimas, sendo inteiramente confirmada a violência sofrida pelo casal que estava extremamente abalado com os momentos de terror vividos nas últimas horas.

Diante da situação, os quatro suspeitos que estavam com o casal no momento foram detidos e encaminhados à GCCO, onde depois de interrogados pela delegada Juliana Palhares, foram autuados em flagrante pelo crime de extorsão qualificada pela restrição de liberdade das vítimas, sendo posteriormente encaminhados para Cadeia Pública de Várzea Grande.

Três dos suspeitos possuem passagens criminais anteriores, sendo um deles portador de tornozeleira eletrônica, estando o dispositivo desligado no momento da abordagem. “O suspeito monitorado por tornozeleira foi apontado pelas vítimas como o mais violento e o que seria o responsável por praticar as possíveis violências física ameaçada pelos suspeitos”, disse a delegada.

O agiota e sua esposa não foram localizados, mas foram identificados pela equipe da GCCO que continuam com as investigações para esclarecimento do crime.