Deputada: fala de Eduardo Bolsonaro ameaa a sociedade

A deputada federal Rosa Neide (PT) criticou a declaração do também deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) sobre uma possível volta do “AI-5”. Para ela a fala é “uma ameaça a sociedade brasileira e ao Estado Democrático de Direito”.

 

O filho de Bolsonaro disse, em entrevista à jornalista Leda Nagle realizada na segunda-feira (28), que se a esquerda brasileira “radicalizar”, uma resposta pode ser “via um novo AI-5”. Nesta quinta-feira (31), Eduardo voltou atrás e afirmou que “não existe qualquer possibilidade de retorno do AI-5”.

 

O Ato Institucional número 5 foi publicado em 1968, no período da Ditadura Militar. Ele resultou na perda de mandatos de parlamentares contrários ao regime, intervenções ordenadas pelo presidente nos municípios e estados e também na suspensão de quaisquer garantias constitucionais.

 

“Dizer que ‘nós não vamos aceitar que a imprensa fale do presidente’, ‘nós não vamos aceitar que sejam investigados os erros do presidente ou da sua família senão vai ter um nova AI 5’ é uma ameaça a sociedade brasileira, ao Estado Democrático de Direito. Os nossos partidos estão tomando todas as providências possíveis”, disse a congressista.

 

A ameaça é constante e há sinais visíveis do que este Governo quer para a população. A juventude não merece ouvir as barbaridades que o presidente da República e seus familiares falam

Segundo Rosa Neide, os partidos de esquerda devem entrar com medidas judiciais contra a fala do parlamentar. 

 

“Mas a providência maior é a indignação da população. Nós podemos fazer o trâmite legal, mas se a população responder quem está no poder é que nós teremos um país democrático, inclusive para todos. Nós não queremos ditadura outra vez”, afirmou.

 

“Ameaça constante”

 

Segundo a avaliação da petista, o Governo Bolsonaro elegeu a “educação, a cultura e a imprensa” como seus principais “inimigos”. 

 

“Logo, pode-se deduzir que Governo é este e o que ele pensa para a sociedade brasileira. A ameaça é constante e há sinais visíveis do que este Governo quer para a população. A juventude não merece ouvir as barbaridades que o presidente da República e seus familiares falam”.

 

“Não podemos aceitar que o presidente transforme o espaço do palácio do Planalto em uma espaço familiar, em uma cozinha da sua residência. Cada dia que a população acorda, aguarda qual será a nova bomba que os que estão ocupando o Palácio do Planalto vão colocar no país”, completou.