Emanuel diz que no quer crise poltica e prope acordo a Mendes

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) propôs um acordo com o governador Mauro Mendes (DEM) como forma de tentar colocar fim a parte do impasse em torno da dívida que o Estado possui com o Município na área da Saúde.

 

De um lado, o Paiaguás afirma que deve R$ 39 milhões relativos a repasses que não foram realizados entre 2017 e 2018. De outro, a Prefeitura sustenta que o débito chega a R$ 56 milhões.

 

O assunto vem sendo, inclusive, motivo ofensas entre os políticos. O governador chegou a classificar o prefeito como “mentiroso”.    

 

“Ok, está havendo um desencontro nos números. Faço uma proposta: acerta os R$ 39 milhões que o Estado fala que deve, faz uma proposta em relação a esse montante. E, a partir daí, minha equipe senta à mesa de negociação para ver a diferença”, sugeriu o prefeito.

 

Está havendo um desencontro nos números. Faço uma proposta: acerta os R$ 39 milhões que o Estado fala que deve, faz uma proposta em relação a esse montante

“Se o Estado estiver certo, não tem problema. Não quero cobrar o que o Estado não deve. Mas não vou perdoar um centavo – seja do Governo ou da União – que é devido à saúde pública de Cuiabá”, acrescentou Emanuel.

 

O prefeito lembrou ainda que a Procuradoria do Município já acionou extrajudicialmente o Estado, sem que houvesse qualquer resposta em relação ao assunto.

Pinheiro disse também que não está descartada uma judicialização em torno deste episódio.

 

“Estou fazendo um apelo, não queria judicializar. Mas esse dinheiro não é meu, pertence à saúde publica de Cuiabá, que acaba por atender o Estado inteiro. Não posso deixar de cobrar. O Estado não respondeu a notificação, vou ter que ajuizar”, disse.

 

“Pedi a minha equipe, orientei o secretário Luis Antônio para insistir no diálogo com o secretário Gilberto Figueiredo. Não estou instalando crise política, não tenho interesse nenhum em instalar crise politica com o governador. O que não pode é não pagar, continuar fingindo que a dívida não existe”, concluiu o prefeito.


Leia mais sobre o assunto:

 

“Fala muito, trabalha pouco e mente bastante”, dispara Mendes

 

Emanuel diz que não abre mão de receber R$ 140 mi do Governo