Embaixadora que agrediu empregada no Brasil volta para as Filipinas

A embaixadora das Filipinas no Brasil, Marichu Mauro, deixou Brasília, a cidade onde vivia e trabalhava, e voltou ao país de origem nesta terça-feira, dia 3. Segundo o G1, o governo do país determinou o regresso depois de uma reportagem da GloboNews mostrar a mulher agredindo uma empregada doméstica, na sede da embaixada.

Também hoje, o presidente Jair Bolsonaro revogou uma homenagem feita à embaixadora no ano passado. Marichutinharecebido a Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul – a mais alta condecoração brasileira atribuída a cidadãos estrangeiros.

A empregada agredida pela embaixadora, de 51 anos, também de origem filipina, regressou ao país de origem na semana passada. O governo do país disse ter oferecido ajuda financeira à mulher.

As agressões foram registradas pelas câmeras de videovigilância da residência oficial, em Brasília. Um funcionário, que não quis se identificar, viu as imagens e foi rever as outras gravações com um colega. Descobriram assim que a vítima era agredida praticamente todas as semanas.

No país de origem, a embaixadora é alvo de uma investigação do Ministério dos Negócios Estrangeiros, autorizada pelo presidente, Rodrigo Duterte e as primeiras conclusões devem ser publicadas na próxima semana. Caso os investigadores encontrem provas suficientes de incumprimento, Marichu Mauro será alvo de uma queixa formal, o que poderá culminar na sua demissão.