Estoques de suco de laranja têm queda de 20,5%: Ano de bienalidade justifica diminuição

Projeção para 30 de junho é de 272.979 toneladas. Se confirmada queda será de 42% em relação às 471.138 toneladas reportadas no mesmo período de 2020

Os estoques de suco de laranja em 31 de dezembro de 2020 registraram queda de 20,5%. Os números foram divulgados nesta quinta-feira (25) pela CitrusBR, que indica ainda que a baixa já era esperada pelo setor devido ao ano de bienalidade baixa na cultura. Segundo Ibiapaba Netto, diretor-executivo da CitrusBR, o levantamento é feito duas vezes no ano por meio de auditorias independentes junto a cada uma das empresas associadas à CitrusBR, e posteriormente consolidado sigilosamente por auditoria externa. A próxima medição será feita no próximo mês de junho. 

O relatório mostra que os estoques físicos de suco de laranja somaram 678.967 tonladas. “Esse volume indica uma queda de 20,5%, relação à 853.778 toneladas existentes na mesma data de 2019”, disse a publicação oficial. O mesmo levantamento indica que os estoques globais de FCOJ Equivalente brasileiro em posse das associadas da CitrusBR em 30 de junho de 2021, data que marca a passagem de safra, estão projetados em 272.979 toneladas. Se confirmada, essa estimativa representará uma redução de 42% em relação às 471.138 toneladas existentes em poder das empresas associadas à CitrusBR em 30 de junho de 2020.

“Essa redução já era esperada principalmente por causa da bienualidade negativa, ou seja, ano de safra pequena, aliado aos efeitos da seca que assolou o cinturão citrícola ano passado e que resultou numa quebra de 30% na oferta de fruta”, explica o Netto. 

A compilação mostrou que o processamento total de laranja no Cinturão Citrícola de São Paulo e Triângulo Mineiro na safra 2020/2021 está estimado em 215.641.333 caixas de laranjas de 40,8 quilos, uma queda de 33,6% em relação às 325.077.912 processadas na safra 2019/20. Desse volume,198.008.000 caixas correspondem às empresas associadas à CitrusBR e 17.633.333 caixas a empresas não associadas. Ao se descontar o total de caixas produzidas segundo estimado pelo Fundecitrus, ao redor de 269,01 milhões de caixas, do total processado por indústrias associadas e não associadas à CitrusBR é possível estimar o mercado interno de fruta in natura em cerca de 53,4 milhões de caixas de 40,8 quilos.

O rendimento industrial médio para a safra 2020/2021 está estimado em 263,70 caixas de 40,8 quilos para a produção de uma tonelada de FCOJ equivalente. Para empresas associadas à CitrusBR, estima-se um rendimento industrial de 262,94 caixas de 40,8 quilos para a produção de uma tonelada de FCOJ 66 Brix Equivalente.  Para empesas não associadas, estima-se um rendimento industrial de 272,58 caixas de laranja de 40,8 quilos para a produção de uma tonelada de FCOJ equivalente. Dessa forma, a projeção é de que a produção total de suco de laranja na safra 2020/21 seja de 817.744 toneladas de FCOJ Equivalente, o que representa uma redução de 32% em relação às 1.202.702 toneladas produzidas na safra 2019/20.      

Ibiapaba explica ainda que agora o setor aguarda pelos números de expectativa da safra, a ser divulgado pela Fundecitrus no próximo dia 10 de maio. “A gente precisa esperar esses números para saber como será a produção, mas já se sabe que a safra deste ano não será muito grande, porque a seca interferiu bastante na primeira florada, o que com certeza impacta na nossa produção”, afirma. 

Em relação ao consumo, como já havia sinalizado, o setor observa certa estabilidade mesmo com a pandemia do Coronavírus, já que o consumo dentro de casa aumentou no período. Para os próximos meses, acredita em um mercado com fundamentos firmes, levando em consideração a demanda, oferta de frutas e os estoques. 

Por:  Virgínia Alves