Estudantes da UFMT em Rondonópolis mantêm greve

Os estudantes do campus da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, continuam em greve sem previsão de término, mesmo depois que a reitoria da instituição de ensino voltar atrás e suspender o reajuste da refeição no Restaurante Unversitário (RU), de R$ 1 para R$ 5.

Acontece que os alunos também estão reivindicando mais participação no Conselho Superior da UFMT, onde são debatidos os assuntos de interesse da comunidade acadêmica.

A suspensão do reajuste no valor do restaurante universitário foi anunciada nessa terça-feira (15). A decisão ocorreu após protestos de estudantes, greve dos estudantes e ocupações em campus da instituição de Cuiabá.

A greve, decidida na semana passada, foi tomada contra a mudança na política de alimentação e cortes no orçamento da instituição.

De acordo com a UFMT, a decisão de suspensão do reajuste será até dezembro deste ano e foi encaminhada aos estudantes como forma de garantir o debate com a comunidade acadêmica.

No documento enviado pela reitoria aos comandos de greve dos estudantes e Diretório Central dos Estudantes (DCE’s) dos campus de Cuiabá, Várzea Grande, Sinop, Araguaia e Rondonópolis, há o compromisso de construir uma nova política de alimentação a partir de 2019.

Ainda conforme a UFMT, para isso, será necessária a readequação de despesas em 2018 para garantir o funcionamento da universidade.

A realização de audiências públicas em todos os campus da universidade com a presença da reitora foi outra decisão encaminhada aos estudantes.

A UFMT afirmou que os recursos das universidades públicas destinados a despesas de custeio vêm caindo seguidamente nos últimos anos.

Outros estudantes em situação de vulnerabilidade econômica terão parte do valor subsidiado pela instituição. Os alunos com renda superior, no entanto, deverão pagar o valor cobrado sem o auxílio da UFMT.

Atualmente, os estudantes de todos os campi pagam R$ 0,25 pelo café da manhã e R$ 1 para almoço e jantar. Os valores seriam reajustados para R$ 5 o almoço e a janta e para R$ 2,50, o café da manhã.

Por TVCA