Exposio nas redes impulsiona busca pelo rosto em harmonia

Na era das selfies, apesar dos filtros embelezadores, a procura pelo ângulo perfeito se tornou habitual. Tanto assim, que pesquisa divulgada em junho pela Allergan, a maior fabricante de ácido hialurônico e toxina botulínica do mundo, com entrevistados em dezoito países, buscou compreender a relação entre as redes sociais e o desejo de um rosto perfeito. Procedimento estético já é uma ideia absorvida pelos millennials, jovens de 18 a 35 anos, a única dúvida é apenas sobre quando realizar essa intervenção. Um outro estudo reforça o interesse por intervenções estéticas.  Quarenta e cinco por cento dos entrevistados disseram não estar tão bem quanto poderiam e 34% revelaram insatisfação com a própria imagem em fotos.

De acordo com o Google, em levantamento publicado pelo site Universa, nunca se buscou tanto por procedimentos estéticos faciais. O mecanismo de busca revela que, entre julho de 2018 e julho de 2019, assuntos como botox e lifting facial alcançaram o recorde de buscas dos últimos 14 anos. No entanto, o interesse pelo tema harmonização facial cresceu seis vezes este ano, um aumento de 540% comparado ao número de pessoas que pesquisaram sobre o assunto no mesmo período em ano anterior (julho de 2017 a julho de 2018).

Para a médica dermatologista Natasha Crepaldi, membro das Sociedades Brasileira, Americana e Europeia de Dermatologia, as pesquisas indicam que exposição contínua em redes sociais impulsiona a busca pelo rosto em harmonia e apura o senso estético. “As pessoas passam a se observar mais  e o que incomoda quando nos olhamos no espelho vai se intensificando, afinal nos vemos em fotos mais vezes ao dia por conta de instagram, facebook. Mas é importante saber que existem estudos comprovando que a selfie muda a perspectiva sobre si mesmo, modificando a própria imagem”, pontua.

As pessoas passam a se observar mais e o que incomoda quando nos olhamos no espelho vai se intensificando

As famosas, ao se submeterem aos procedimentos estéticos, também influenciam seus seguidores. Embora muitas neguem ter feito qualquer procedimento, basta olhar as fotos atuais e as de alguns anos atrás para perceber mudanças, especialmente nos lábios e maçãs do rosto.

Adepta da naturalidade nos traços, a médica explica que a harmonização facial, hoje sob o conceito de reabilitação estética da face, consiste basicamente no uso de toxina botulínica, preenchedores, estimuladores de colágeno e fios de sustentação para levantar as sobrancelhas, aumentar o volume dos lábios, atenuar a perda de volume das maçãs, preencher o bigode chinês, harmonizar o nariz, entre outras correções. A ideia é proporcionar uma face mais harmônica, jovial, sem, no entanto, descaracterizar o paciente. “Acredito que as pessoas querem se cuidar, se sentir mais confortáveis com suas expressões, alcançar a melhor versão de si mesmas”, destaca Natasha.

E médica avalia que o avanço da medicina tem sido essencial para a expansão da técnica. “Há dez anos, os preenchimentos duravam menos, o ácido hialurônico, por exemplo, era absorvido em seis meses — hoje seus efeitos duram até dois anos”, complementa. Além dessas técnicas invasivas, tecnologias não-invasiva como laser e radiofrequência são utilizadas no arsenal de tratamentos para recuperar o viço da pele e estimular colágeno. “A reabilitação estética da face é complexa, individualizada. Precisamos observar desde a personalidade da pessoa aos hábitos do cotidiano para encontrar uma combinação de tratamentos dermatológicos e estéticos que se adeque ao resultado esperado”, afirma a dermatologista, que defende a saúde da pele como prioridade antes de se submeter a qualquer tratamento.

Como a pele é o órgão que mais exibe os efeitos da passagem do tempo, sua aparência e sua saúde estão diretamente ligadas ao estilo de vida e aos hábitos alimentares. “A radiação ultravioleta, o cigarro,  o consumo de álcool e a poluição ambiental, entre outros, são fatores que “aceleram” o trabalho do relógio biológico provocando o envelhecimento precoce. O aumento dos níveis de açúcar no sangue e do peso corporal também colabora para a pele envelhecer antes do tempo”, destaca Natasha, acrescentando que além da perda de colágeno e elastina ao envelhecer, também reabsorvemos ossos, então todo o suporte do rosto está encolhendo com o passar dos anos.
No entanto, para realizar procedimento dermatológico estético, a médica orienta buscar profissionais qualificados, membros da Sociedade Brasileira de Dermatologia.