Financiamento cresce 6,5% este ano em MT

Financiamento imobiliário com recursos da caderneta de poupança cresceu 6,51% este ano, até agosto, em Mato Grosso. De acordo com a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) foram contratados R$ 547,079 milhões para aquisição e construção no Estado. No mesmo período de 2017, o valor chegou a R$ 513,634 milhões.

Os recursos foram usados na compra de 2,3 mil imóveis, sendo 139 a mais (6,43%) que o total financiado nos 8 primeiros meses de 2017, quando foram 2,161 mil unidades. Os recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) permitem financiar imóveis para quem já possui moradia. O pagamento é em até 35 anos.

Na percepção do presidente do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis de Mato Grosso (Creci), Benedito Odário Conceição e Silva, o mercado imobiliário voltou a reaquecer em 2017 e persiste este ano, mas ainda abaixo do volume de negócios registrado entre 2010 e 2014. A manutenção dos juros num patamar menor após sucessivos cortes na taxa básica Selic e a retomada das cotas de financiamento de até 80% por bancos públicos são fatores que favorecem os financiamentos, especialmente para as classes C e D, público-alvo do programa governamental Minha Casa Minha Vida (MCMV), afirma o presidente do Creci.

Imóveis de médio e alto padrão também continuam sendo comercializados em Mato Grosso, mas a demanda é mais contida, opina Silva. Para ele, o período eleitoral interfere pouco na contratação de financiamentos imobiliários no Estado, onde a economia mantém crescimento devido ao desempenho do agronegócio. “No interior, as imobiliárias apontam crescimento nas vendas, especialmente nos polos de produção agropecuária”.

Nacional – No acumulado deste ano foram contratados R$ 35,880 bilhões para financiamento imobiliário com recursos do SBPE no país, montante 22,8% superior ao observado em igual período de 2017. Os valores acessados no período de janeiro a agosto permitiram financiar a aquisição de 141,420 mil imóveis em todo o país este ano, quantidade 20,5% maior que as 117,400 mil unidades adquiridas em 2017.

 

Por Gazeta Digital