Fisioterapeuta afastado dos trabalhos estava recebendo e participando de manifestações

Por Esportes & Notícias

O fisioterapeuta, Gilberto Luiz Elias, lotado na secretaria municipal de saúde da cidade de Juína/MT está na mira do Ministério Público Estadual. Em seu desfavor uma denúncia grave que pode custar seu emprego como funcionário público. Segundo o promotor de justiça civil Marcelo Ferreira Linhares, o servidor público participou de uma manifestação no dia 27 de março junto com um grupo de empresários em frente a prefeitura municipal que protestavam sobre o decreto municipal que fechou o comércio local. O problema é que Gilberto conhecido como um impulsionador do Bolsonarismo principalmente nas redes sociais estava afastado de suas funções, e o mais grave – recebendo salário do município quando supostamente participou dos atos.

Na tarde de quinta-feira (4), o promotor Marcelo Linhares concedeu entrevista e explicou o recebimento dessa denúncia que chegou até a câmara de vereadores, e devido o órgão não ter a competência de investigação do caso, remeteu ao MP apontado que um servidor da saúde que pertence ao grupo de risco teria se afastado, ou seja, não estaria trabalhando, mas estaria recebendo salário em casa.

“Apesar de estar recebendo salário em casa este servidor estaria promovendo aglomerações pela cidade participando de protestos segurando cartazes, ou seja, haveria um comportamento contraditório. A câmara encaminhou a representação ao MP. A parte criminal foi para meus colegas criminais e a parte civil vai avaliar se realmente durante os protestos ele estaria afastado por licença saúde ou por que ele se afastou – isso é mérito da investigação”, ressaltou Linhares.

De acordo com o site Juína News, o MP já requisitou junto a prefeitura municipal cópias do todo o procedimento inteiro do pedido de licença, com as datas e motivos do afastamento, e recomendou que o executivo instaure uma sindicância para apurar o comportamento do fisioterapeuta em relação ao código de conduta e ética do município, onde a liberdade de manifestação é de direito de todos, porém no caso específico a pessoa alegou não poder trabalhar e ao invés de se resguardar, saiu para as ruas fazer aglomerações e protestos.

Linhares ressaltou ainda que é necessário receber os documentos que foram requisitados do legislativo, onde a denúncia será ofertada com embasamento nos documentos, onde só depois poderá se chegar à conclusão que se trata de um caso de ação improbidade administrativa exigindo a demissão e multa, ou até mesmo a fixação um acordo de percussão civil, onde poderá até mesmo ser arquivado o processo, porém tudo dependerá dos materiais comprobatórios que deverá ser enviado pela prefeitura municipal de Juína.

Ainda não foi definida uma data para o funcionário público ser ouvido pelo ministério público, onde o depoimento só será marcado após as informações solicitadas serem repassadas a promotoria de justiça.

Publicações

No dia 24 de março Gilberto publicou um vídeo no youtube onde relata que está em casa de atestado que é um paciente que tem bronquite asmática e paciente de risco que não pode estar saindo para rua e na sequencia questionou sobre o RGA (reajuste geral anual).

Numa aparição bizarra do servidor público Gilberto Elias foi até a câmara municipal de Juína e durante a sessão ordinária cobrava arduamente dos vereadores uma resposta de um equipamento de som furtado possivelmente no final de ano, ele e mais um grupo de pessoas se fantasiaram e cobravam transparência e responsabilidade dos parlamentares quanto ao episódio do furto.

A reportagem não conseguiu contato com o fisioterapeuta Gilberto Luiz Elias, para dar sua versão sobre a denúncia.