FRIGORÍFICO PAGA MAIS PELO BOI E ARROBA DISPARA

Com grande pressão na oferta de animais terminados para abate, os frigoríficos estão ofertando maiores preços na arroba do boi para tentar garantir a compra,

Os preços da arroba tiveram uma quarta-feira, 06, de novas valorizações em importantes praças pecuárias pelo Brasil. Segundo o levantamento realizado pela nossa Equipe, o fator de sustentação do movimento de valorização da arroba nesse momento é a menor oferta de animais terminados para abate.

Com escalas de abate ajustadas, variando entre dois a três dias úteis, a expectativa é que os preços continuem subindo no curto prazo. Diante desse quadro, os preços subiram nas regiões do Centro-Oeste e em Minas Gerais. Afinal, até quando vai a alta da arroba?

Ainda segundo o levantamento, “com os novos preços, a cotação de referência da arroba do boi gordo está apregoada em R$272,00, preço bruto e à vista. Vacas e novilhas gordas estão sendo negociadas em R$254,00/@ e R$262,00/@, preço bruto e à vista, respectivamente. Os negócios para bovinos com até quatro dentes, que atendem o mercado externo, estão em torno de R$280,00/@”, destacou a consultoria. Em São Paulo, o valor médio para o animal terminado chegou a R$ 278,91/@, na quarta-feira (06/01), conforme dados informados no aplicativo da Agrobrazil. Já a praça de Goiás teve média de R$ 270,00/@, seguido por Mato Grosso Sul com valor de R$ 263,98/@. Já o Indicador do Cepea, acompanhando a valorização do mercado, teve uma valorização de 1,42%, fechando o dia cotado a R$ 278,30/@. O destaque do dia ficou para a negociação informada no app, onde o pecuarista de Luziânia/GO, vendeu os animais a R$ 275/@ com pagamento à vista e abate para o dia 08 de janeiro.

A oferta de animais oriundos da terminação à pasto, deve se intensificar nos últimos dias do mês, já que a seca acabou tardando a entrada desses animais no mercado. Sendo assim, o alerta fica para a última semana de janeiro e início de fevereiro, onde a oferta deve ser normalizada e, com isso, os preços tendem a ser corrigidos. Porém, vale ressaltar que a cotação não sofrerá uma queda brusca, apenas uma correção para se ajustar à entrada de mais animais no mercado. A expectativa é que os preços fique em torno de R$ 260 e R$ 270 em algumas praças.

Por Redação