Governo dá início à fiscalização para garantir uso de máscaras em estabelecimentos

O uso obrigatório do equipamento foi determinado pelo Governo no início de abril. A partir de 5 de maio, os estabelecimentos que descumprirem a determinação serão multados em R$ 80 por pessoa sem máscara nas dependências.

A ‘Operação Dispersão 2 – Covid-19’ levará às ruas centenas de policiais militares e dezenas de fiscais do Procon e da Vigilância Sanitária para orientar comerciantes e a população. O lançamento da operação ocorreu no quartel do Comando Geral da Polícia Militar, em Cuiabá.

Desse local, 50 policiais e um grupo de fiscais do Procon e da Vigilância seguiram para as áreas comerciais de Cuiabá e Várzea Grande. Porém, a ação também teve início e será cumprida em todos os municípios.

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Jonildo José de Assis, disse que a missão da instituição militar no momento em que o comércio começa a reabrir as portas é mostrar a importância e fomentar o uso da máscara. “Orientação acima de tudo porque nossa preocupação é salvaguardar vidas”, completou Assis.

Conforme o comandante, policiais militares estarão nas ruas em todos os municípios do Estado desenvolvendo ações similares. Independente de operações e de reforços específicos de fiscalização, as equipes que estiverem nas ruas fazendo rondas de prevenção e repressão à criminalidades estarão atentas à orientação sobre o uso de máscaras.

O coordenador do Procon Estadual, Ivo Vinicíus Firmo, reforçou a fala do comandante da PM, lembrando que os comerciantes deverão afixar cartazes em locais de grande visibilidade para informar aos consumidores sobre o uso da máscara. E ainda, não permitir que pessoas entrem em seu estabelecimento sem o instrumento de proteção individual.

Ele observou que empresários e funcionários também devem usar máscara permanentemente no local de trabalho. Ivo Firmo destacou que a obrigatoriedade do uso da máscara não tem sentido arrecadatório, mas de prevenção em saúde.

Também participaram do lançamento da operação o secretário-adjunto do Procon Edmundo da Silva Taques Júnior, o comandante adjunto da PM, coronel Cruz, o subchefe de Estado Maior da PM, coronel Rodrigues, os comandantes da PM em Cuiabá e Várzea Grande(CR 1 e 2) coronéis Sovinski e Esnaldo, além dos coordenador de Vigilância Sanitária Estadual Marcos Roberto Arcanjo Dias, a coordenadora da Vigilância Sanitária de Cuiabá Carlina Arruda, entre outras autoridades.

 O que diz a população

Para a comerciante Marildes Magalhães, a lei deve ser cumprida por todos, ainda mais que os lojistas estão sendo orientados antes da aplicabilidade das multas.

“Aqui na loja estamos todos usando máscaras, oferecendo álcool para os clientes na entrada e saída e também mantendo um distanciamento entre nós e eles. Vamos colocar os avisos, como nos orientaram a fazer, e quem estiver sem máscara não vai entrar em nossa loja”, disse ela.

Já a cozinheira Marlene Vieira, defende que todas as pessoas que estivessem sem máscaras fossem multadas, por achar que não estão se conscientizando dos perigos da pandemia.

“Eu uso sempre, porque não quero pegar essa doença e a população também precisa de conscientizar da gravidade dessa doença”, afirmou.