Internado com Covid-19, senador Major Olimpio tem morte cerebral decretada

O líder do PSL no Senado, Major Olimpio (PSL-SP), teve morte cerebral decretada, informou a família do parlamentar, que estava internado com Covid-19, nesta quinta-feira em sua conta no Twitter.

“Com muita dor no coração, comunicamos a morte cerebral do grande pai, irmão e amigo, Senador Major Olimpio. Por lei a família terá que aguardar 12 horas para confirmação do óbito e está verificando quais órgãos serão doados”, disse a postagem.

“Obrigado por tudo que fez por nós, pelo nosso Brasil”, completou.

Major da reserva da Polícia Militar do Estado de São Paulo, Olimpio, de 58 anos, foi eleito senador com uma expressiva votação em 2018 na onda do bolsonarismo. Mas rompeu com o presidente Jair Bolsonaro, e adotou postura mais crítica.

Nas últimas sessões –o senador chegou a participar de forma remota já internado em enfermaria de hospital, com suporte de oxigênio– lamentava os recordes de óbitos pela Covid-19 e cobrava ações do governo.

Ele é o terceiro senador que morre em decorrência da doença causada pelo coronavírus. Antes dele, haviam morrido por Covid-19 os senadores José Maranhão (MDB-PB) e Arolde de Oliveira (PSD-RJ).

Por meio de nota, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou que a presidência do Senado lamenta “profundamente” a morte do colega e decretou luto oficial de 24 horas.

“Major Olímpio foi o terceiro senador que perdeu a vida para o novo coronavírus… As sinceras condolências do Parlamento Brasileiro à família, amigos e a todos os paulistas”, diz a nota do presidente do Senado.

Depois, em uma segunda nota, lamentou “a notícia devastadora sobre o falecimento”.

“Pensávamos diferente em diversas situações, mas gostávamos e respeitávamos um ao outro. No dia de hoje perdemos todos. Perdemos um companheiro de trabalho, perdemos um trabalhador, perdemos um amigo. Perdemos mais um brasileiro.”

O ex-presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), também manifestou pesar em publicação no Twiiter, em que referiu-se a Olímpio como “um homem de convicções fortes e de bom coração”.

Também pelo Twitter, o ex-ministro Sergio Moro registrou homenagens ao senador.

“Triste pandemia. Tristes tempos”, tuitou.

O presidente da Frente Parlamentar da Segurança Pública, deputado Capitão Augusto (PL-SP) prestou condolências à família do senador. “A sociedade brasileira perde um legítimo agente público, que nunca se desviou de suas bandeiras e seus ideais”, diz nota do presidente da frente.

SINTOMAS

Olimpio foi diagnosticado com Covid-19 à mesma época que outros dois senadores: Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Lasier Martins (Podemos-RS). Em fevereiro, eles haviam participado de sessão do Senado presencialmente.

O líder do PSL comentou no Twitter, no dia 2 de março, que havia sido contaminado.

“Compartilho com todos que fui diagnosticado com Covid-19, mas estou bem, com sintomas leves e em isolamento domiciliar. Com isso, não será possível a minha presença nas sessões do Senado nos próximos 14 dias. Continuarei trabalhando como sempre, mas remotamente. Deus os abençoe!”, publicou.

Depois disso, o senador chegou a tuitar mais algumas vezes, agradecendo mensagens e desejos de recuperação. No dia 4, informou em post que “segundo o médico, meu quadro está evoluindo bem apesar da gravidade e tenho fé que em breve estou de volta ao combate!”.

Mas a partir do dia 5, tuítes na conta do senador paulista passaram a ser gerenciados por sua assessoria, sobre seu estado de saúde, incluindo a informação de sua trasnferência para a UTI.

Nesta quinta, a assessoria de Alessandro Vieira informou em nota que o senador deve receber alta hospitalar na sexta-feira do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Lazier publicou no Twitter nesta tarde que acabava de receber alta do Hospital São Lucas, em Porto Alegre.

Por Ricardo Brito e Maria Carolina Marcello