Lder de quadrilha de roubo a bancos executado a tiros em MT

O líder de quadrilha de assalto a banco na modalidade “Novo Cangaço”, Lindomar Alves de Almeida, conhecido como “Nenezão”, foi assassinado a tiros no final da manhã desta sexta-feira (3) em Nobres (122 km de Cuiabá).

 

Junto com ele estava um empresário identificado apenas como Geraldo, que também foi assassinado.

 

Conforme a Polícia Militar, um carro branco parou atrás da caminhonete Hillux onde estavam as vítimas e dois homens encapuzados desceram. Em segundos, a dupla abordou as vítimas e atirou.

 

Lindomar morreu na hora. Já o empresário foi socorrido com vida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do hospital.

 

Condenado

 

Em outubro de 2019, Lindomar foi condenado a 10 anos e três meses de prisão, em regime fechado, além de 16 dias multas.

 

A decisão foi da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso e refere-se ao roubo do Banco do Brasil em Paranatinga (a 373 km de Cuiabá), ocorrido em julho de 2011. Na ocasião, foram levados mais de R$ 1 milhão.

 

O assaltante já havia sido condenado pelos fatos em julho do ano passado. A condenação, porém, foi anulada em agosto pelo ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou um novo julgamento.

 

No “Novo Cangaço”, os criminosos, fortemente armados (com fuzis, metralhadoras e escopetas calibre 12), invadem uma agência bancária – normalmente em cidades pequenas -, provocam terror generalizado e usam as vítimas como escudo humano, como meio de assegurar a fuga.