Livres pede impeachment de Bolsonaro e destaca crimes de responsabilidade

O movimento político Livres, defensor de pautas sobre o liberalismo nos costumes e na economia, publicou nesta quarta-feira (16) parecer técnico pedindo o impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Segundo o grupo, em nota, “o presidente da República permanece incapaz de liderar os esforços nacionais contra a pandemia da covid-19 e de implementar políticas eficazes por meio do Ministério da Saúde”.


De acordo com o texto, o presidente cometeu “reiterados atos ilícitos e ímprobos” durante a gestão da crise sanitária causada pelo novo coronavírus. O grupo também destaca que “diversas condutas do presidente Jair Bolsonaro” podem ser enquadradas na Lei dos Crimes de Responsabilidade e Constituição Federal: os crimes contra o direito fundamental à vida e à saúde, o livre exercício dos Poderes Constitucionais, o sistema eleitoral e a democracia, o Estado de Direito, a segurança interna do País, a probidade administrativa, bem como ausência de decoro e omissão sobre a responsabilidade de subordinados.

Os episódios citados incluem desde as insinuações do presidente sobre uso político das Forças Armadas, às declarações de fraudes em eleições, gastos com medicamentos comprovadamente ineficazes contra a covid-19 e afronta aos pressupostos de impessoalidade.

O movimento, como organização suprapartidária, nasceu em 2018 após conflitos com o PSL após o presidente da sigla, Luciano Bivar, anunciar a filiação do então candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro. Diante do conflito entre as ideias defendidas pelo grupo – que até então pertencia à estrutura do partido – e as de Bolsonaro, o filho do dirigente da legenda, Sérgio Bivar, anunciou que deixaria o partido e levaria consigo o Livres. Segundo o grupo, “quando o populismo entra pela janela, a liberdade sai pela porta”.