Mato Grosso avança com vendas antecipadas de soja e milho

Pela primeira vez, Imea registra comercialização de 9% da safra de milho do ano que vem (21/22)

O Imea (Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária) divulgou relatório atualizando os dados de comercialização das principais culturas do estado do Mato Grosso para as safras 2019/20 (passada), 2020/21 (atual) e 2021/22 (próxima).

Olhando para a soja, os dados demonstram que a safra 2019/20 já está praticamente totalmente negociada com 99,97% vendida até janeiro de 2021 contra 99,82% do mês de dezembro de 2020. Este patamar está bastante próximo aos 99,92% registrados neste período do ano passado para a safra 2018/19 e aos 99,57% da média dos últimos 5 anos.

A safra atual 2020/21 se encontra 68,54% comercializada até o momento, um avanço de 2,09 pontos percentuais com relação ao mês anterior. Em janeiro de 2020, a safra em vigor 2019/20 estava 59,06% vendida, enquanto a média de 5 anos é de apenas 50,95%.

Mas a maior discrepância está nos números da safra 2021/22, que ainda será plantada no final deste ano. Até o primeiro mês de 2021, os produtores mato-grossense já negociaram 15,95% da expectativa de produção futura, 11,13 pontos percentuais a mais do que tinha sido negociado da safra 2020/21 em janeiro de 2020 (4,82%) e muito a mais do que os 0,96% da média registrada nos últimos 5 anos.

O quadro do milho também é bastante semelhante. Até o momento, a safra 2019/20 já foi 98,63% vendida, um avanço de 0,73 pontos percentuais com relação à dezembro de 2020 e um atraso de 0,77 pontos percentuais com o que era registrado neste período do ano passado para a safra 2018/19.

Da atual temporada 2020/21 que será plantada agora após a colheita da soja, 66,83% da produção já está comprometida, 4,14 pontos percentuais a mais do que no mês passado. Em comparação com a safra anterior, as vendas antecipadas estão 9,95 pontos percentuais acima dos 56,88% contabilizados para o ciclo 2019/20 em janeiro de 2020. Já a média dos últimos 5 anos é de 45,50%.

Novamente, o fenômeno mais incomum está presente na safra 2021/22, em que 9% da produção que será semeada no ano que vem já está comercializada, avançando 2,35 pontos percentuais com o que era contabilizado até dezembro. Para safras tão adiantadas, nem no ano passado e nem na média dos últimos 5 anos haviam sido registradas negociações começando neste ponto do ano.

Por: Guilherme Dorigatti