Mendes diz que abrir mão de receita seria irresponsabilidade e põe em risco saúde e segurança pública

Assessoria

image

O governador do Estado de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM) afirmou que após uma conversa entre o ministro Paulo Guedes e os governadores dos 27 Estados e o Distrito Federal as alterações na forma de cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), principalmente no preço dos combustíveis, serão discutidas na Reforma Tributária, no Congresso Nacional. A entrevista coletiva foi concedida durante o VIII Fórum Nacional de Governadores, em Brasília que aconteceu nesta terça-feira (11.02).

De acordo com o governador, a proposta feita pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tornaria inviável a execução orçamentária de todos os Estados. Bolsonaro teria sugerido que os governadores deixassem de cobrar o ICMS sobre os combustíveis, no entanto, o imposto representa de 20% a 30% das receitas estaduais.

“Nenhum Estado brasileiro, nem o Distrito Federal têm a menor condição de tomar essa medida. Todos os Estados estão com a situação fiscal financeira frágil, a maioria deles em grande dificuldade”, explicou Mendes.

Abrir mão de receita, segundo Mauro, seria uma grande irresponsabilidade, colocando inclusive em risco a prestação de serviços públicos como a saúde, a segurança pública e demais compromissos que o Estado tem.

O democrata ainda ressaltou que todos os gestores dos executivos estaduais gostariam que tivesse no país uma tributação mais simples e mais justa e menos onerosa para o bolso dos contribuintes do país.

Ainda durante a coletiva, Mauro enfatizou que o presidente Jair Bolsonaro deve ser respeitado, pois é um gestor extremamente corajoso, que fala o que pensa e que tem uma dinâmica própria, mas também lembrou que o debate deve ser feito acima de tudo, com a verdade e com um pouco de característica técnica, pois não se pode abrir mão dos números e dos dados para que a discussão possa trazer benefícios ao país.

“Nós respeitamos o nosso presidente, ele tem sua dinâmica própria, presidente extremamente corajoso, fala o que pensa. Ele vem produzindo grandes debates e grandes avanços. Nosso presidente foi eleito a partir do momento que ninguém considerava que fosse possível, e coisas impossíveis estão acontecendo nesse país. A própria reforma da previdência que em muitos lugares era impossível, aconteceu. A reforma tributária que muitos julgavam que era impossível caminhar nesse país, ela começa a ganhar contornos e começa a evoluir”, destacou Mendes.

Confira na íntegra: