Ministério da Cidadania apresenta Brasil em Campo, projeto que democratiza o livre acesso a estruturas esportivas de qualidade

O Ministério da Cidadania apresentou, nesta quarta-feira (07.10), o Brasil em Campo, a mais nova iniciativa da pasta para incentivar a prática de esportes no país. O projeto prevê a criação de infraestrutura esportiva e paradesportiva em todo o território nacional a fim de democratizar o livre acesso a atividades físicas de qualidade, promover cidadania e unir as pessoas, inspirando-as a superarem seus próprios limites e transformarem suas vidas. O evento ocorreu no auditório do Ministério da Cidadania e contou com a presença de membros do legislativo.

Este equipamento vai permitir a prática esportiva, atividade escolar, convívio comunitário, estímulo à convivência de idosos, inclusão social, disputa e competição, garimpagem de novos talentos, ou seja, ele terá uma amplitude impressionante”

Onyx Lorenzoni, ministro da Cidadania

A novidade foi apresentada pelo chefe da pasta, o ministro Onyx Lorenzoni. “Este equipamento vai permitir a prática esportiva, atividade escolar, convívio comunitário, estímulo à convivência de idosos, inclusão social, disputa e competição, garimpagem de novos talentos, ou seja, ele terá uma amplitude impressionante”, explicou o ministro. Durante sua fala, Onyx contou que uma das grandes inspirações para o projeto foi o desempenho da seleção alemã na Copa do Mundo de 2014. “Isso tudo começou no 7×1, porque dez anos antes, eles começaram um processo de construção de mais de cinco mil campos de futebol na Alemanha”.    

O Brasil em Campo conta com ações federais, municipais e da iniciativa privada. Os municípios interessados devem fornecer os terrenos de 24 mil metros quadrados já terraplanados, cercados e iluminados. A construção da estrutura será feita com verbas de emendas parlamentares e será de responsabilidade do Ministério da Cidadania.

Depois de pronto, o projeto ficará à cargo das gestões locais e empresas interessadas em explorar o espaço, que será compartilhado com turnos escolares de segunda a sábado.  “O contrato, a princípio, será de cinco anos. Ao final, o Governo Federal fará a inspeção e análise. Se o equipamento estiver em perfeito estado de conservação, imediatamente, a União transferirá todo equipamento e gestão para o município”, pontuou Lorenzoni.

A iniciativa foi pensada para atender oito pilares de grande importância para o Ministério da Cidadania. O primeiro deles, Amor à Pátria, porque nasce com o nome do Brasil e estará em todos os cantos do país. É Eficiente – a previsão é de que leve cem dias do início da obra, à prestação de contas e inauguração. “Nós vamos nos empenhar muito para que a gente consiga criar um outro referencial de obras públicas neste país, com eficiência e transparência”, garantiu o ministro Onyx. 

A Transparência ficará por conta do acompanhamento da obra e da prestação de contas simplificada via aplicativo. O projeto tem garantia de Qualidade, pois contará com campos de futebol de grama sintética com medidas oficiais, pista de atletismo, quadras poliesportivas, espaços para eventos, vestiários, área de administração, loja e lanchonete.

A nossa preocupação foi não fazer nada tão inovador que não seja capaz de ser implementado rápido, mas ser suficientemente criativo para dividir em módulos de coisas que existem para a gente conseguir entregar essa infraestrutura de qualidade a quem mais precisa, que são os cidadãos brasileiros”

Antônio Barreto, secretário-executivo do Ministério da Cidadania 

Inclusão é a palavra-chave do Brasil em Campo. As estruturas serão totalmente acessíveis, haverá marcação para o futebol de 5, quadra de bocha, sinalização tátil e vestiários adaptados. A preocupação com Sustentabilidade é grande. Placas fotovoltaicas serão usadas para a iluminação, enquanto cisternas garantirão o melhor aproveitamento da água da chuva. O projeto traz Inovação ao propor ações conjuntas entre as gestões federal, municipal e privada, além de compartilhar o espaço com turnos escolares. Tudo feito de forma ágil e clara. Por último, e não menos importante, vem a Integração às demais políticas públicas sociais de emprego e renda, esporte, educação e oportunidades.

“Esses valores nos levam a acreditar na palavra ‘cidadania’ de um jeito um pouco diferente”, explicou o secretário-executivo do Ministério da Cidadania, Antônio Barreto. “A nossa preocupação foi não fazer nada tão inovador que não seja capaz de ser implementado rápido, mas ser suficientemente criativo para dividir em módulos de coisas que existem para a gente conseguir entregar essa infraestrutura de qualidade a quem mais precisa, que são os cidadãos brasileiros”. 

De acordo com um levantamento da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania, seis em cada dez escolas públicas não possuem quadras para atividades físicas. Nos estados do Maranhão e do Acre, 90% das escolas não oferecem essa infraestrutura. Diante disso, o Governo Federal entende que é necessário promover esse acesso às crianças e jovens, para que o esporte possa ser uma ferramenta de transformação para o futuro de cada um.

O secretário especial do Esporte, Marcelo Magalhães, ressaltou que o esporte é uma grande ferramenta de transformação. “Hoje, a gente tem uma dificuldade muito grande de ocupação do espaço com responsabilidade, isso começa a se desenhar de maneira muito efetiva no momento em que a gente não tem espaço para as nossas crianças praticarem esporte no contraturno escolar”, disse. “Quantos talentos o Brasil perde por falta de um espaço como esse? Se a gente trabalhar isso de maneira efetiva, eficaz, teremos, em muito pouco tempo, grandes talentos não sendo desperdiçados dentro do esporte. Com isso, a gente começa o processo de transformação real ao fomentar a política esportiva nos estados e municípios”.

O Governo do Distrito Federal já manifestou interesse em implementar duas unidades de infraestrutura esportiva do Brasil em Campo. “Em fevereiro, estão todos convidados para a inauguração dos equipamentos”, disse o ministro Onyx Lorenzoni. “Será um teste inicial antes de partirmos para a larga escala.  E vai servir também para mostrar como Brasil em Campo terá um potencial agregador na vida da comunidade e do município impressionante”, finalizou.  

Diretoria de Comunicação – Ministério da Cidadania