MT foi o estado que teve a maior alta do PIB em 2017

Mato Grosso foi o estado que teve a maior alta do Produto Interno Bruto (PIB) acumulado no ano de 2017, segundo dados divulgados pela Secretaria Estadual de Planejamento (Seplan-MT). O PIB é a soma de todas as riquezas produzidas no estado.

De acordo com a pasta, o PIB do estado cresceu 11,2{ce2551fde2e1a4b26c8301536bdeec1ec9d30bdaca74ae8a9a9dcfce14bbd35b} no ano passado, desempenho acima da economia nacional, que foi de 1{ce2551fde2e1a4b26c8301536bdeec1ec9d30bdaca74ae8a9a9dcfce14bbd35b}.

Entre os setores que mais tiveram impacto na economia em Mato Grosso nos últimos três meses do ano passado estão a agropecuária, que teve queda de 7,9{ce2551fde2e1a4b26c8301536bdeec1ec9d30bdaca74ae8a9a9dcfce14bbd35b} por cento, mas registrou crescimento acumulado em relação ao ano anterior, a indústria (6,7{ce2551fde2e1a4b26c8301536bdeec1ec9d30bdaca74ae8a9a9dcfce14bbd35b}) e serviços (3,7{ce2551fde2e1a4b26c8301536bdeec1ec9d30bdaca74ae8a9a9dcfce14bbd35b}).

Os dados apontam, ainda, que a arrecadação do Imposto sobre Cirulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) cresceu 7,3{ce2551fde2e1a4b26c8301536bdeec1ec9d30bdaca74ae8a9a9dcfce14bbd35b} e a receita total, 5,2{ce2551fde2e1a4b26c8301536bdeec1ec9d30bdaca74ae8a9a9dcfce14bbd35b}, enquanto a despesa corrente do estado subiu 11,4{ce2551fde2e1a4b26c8301536bdeec1ec9d30bdaca74ae8a9a9dcfce14bbd35b} e o gasto com pessoal, 12,9 {ce2551fde2e1a4b26c8301536bdeec1ec9d30bdaca74ae8a9a9dcfce14bbd35b}.

Desempenho dos setores

Apesar da queda observada no setor agropecuário, influenciada pela produção de bovinos e aves, a atividade registrou um crescimento acumulado de 47{ce2551fde2e1a4b26c8301536bdeec1ec9d30bdaca74ae8a9a9dcfce14bbd35b} em relação ao ano anterior, impulsionado pela produção agrícola, em especial de soja; pela recuperação da produção de milho e boa participação do algodão no cenário nacional.

Já o resultado do desempenho do setor da indústria é resultado principalmente da indústria de alimentos que processa a produção agrícola regional. Dentro deste setor, a construção civil registrou, pelo terceiro ano consecutivo, queda de desempenho.

O último trimestre do setor de serviços, por sua vez, foi baseado principalmente nos desempenhos positivos do comércio e dos serviços de transporte, inerentes à escoação da produção agropecuária, após dois anos de resultados negativos.

 

Por TVCA