MT receber R$ 342 milhes a menos que o esperado com leilo

Normal
0

21

false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin-top:0cm;
mso-para-margin-right:0cm;
mso-para-margin-bottom:10.0pt;
mso-para-margin-left:0cm;
line-height:115%;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-language:EN-US;}

O Governo de Mato Grosso vai receber R$ 322,4 milhões do megaleilão do pré-sal, realizado nesta quarta-feira (6). O valor está R$ 342,4 milhões abaixo da expectativa do Executivo, que era de R$ 665,1 milhões.

 

Ao MidiaNews, o democrata citou preocupação por conta da arrecadação abaixo do esperado (leia mais abaixo).

 

O leilão garantiu uma arrecadação de R$ 69,96 bilhões. Dos quatro campos oferecidos, dois foram arrematados e dois não atraíram interessados. Se todos os blocos fossem arrematados, o valor chegaria a R$ 106,5 bilhões.

 

A frustração na receita do leilão afetou os repasses que seriam feitos aos estados. Ao invés de o Governo Federal distribuir R$ 10,8 bilhões, irá repassar R$ 5,3 bilhões.

 

Neste momento, o Brasil precisa colocar todos os projetos em marcha para a retomada da economia brasileira

O dinheiro era considerado crucial por Mendes para que o Governo tivesse fôlego nos últimos meses do ano.

 

Isso porque o democrata precisa garantir, além dos R$ 500 milhões da folha salarial de dezembro, quase R$ 600 milhões para o pagamento do décimo terceiro salário dos servidores.

 

O governador disse ter havido um êxito parcial com o leilão, mas ressaltou preocupação por conta do não interesse em dois dos lotes oferecidos.

 

“Apesar do êxito parcial com a venda de alguns dos lotes, vejo com preocupação, porque se houve lotes sem apresentação de proposta significa que há uma desconfiança com relação a esses lotes ou até mesmo uma inviabilidade dos mesmos”, afirmou.

 

“Neste momento, o Brasil precisa colocar todos os projetos em marcha para a retomada da economia brasileira”, acrescentou Mendes.

 

O megaleilão

 

A praça ofereceu volumes de reservas excedentes ao contrato da cessão onerosa, assinado entre União e Petrobras em 2010, que autorizava a produção pela petroleira estatal em determinadas áreas do pré-sal da Bacia de Santos de até 5 bilhões de barris de óleo.

 

Foram a leilão reservas da camada de petróleo do pré-sal já descobertas pela Petrobras, mas que excedem o volume que a empresa tem direito de produzir.

 

Inicialmente, 14 empresas foram habilitadas para participar da disputa, mas o leilão foi marcado pela falta de interesse e desistência das grandes petroleiras estrangeiras.

 

A Petrobras levou os dois blocos em que já havia exercido o direito de preferência, garantido por lei. O bloco de Búzios, o maior de todos, foi arrematado em consórcio formado com as chinesas CNODC Brasil (5%) e CNOOC Petroleum (5%). Já o bloco de Itapu será 100% da Petrobras, que levou a área sozinha, sem sócios.

 

Os blocos de Sépia e de Atapu não tiveram interessados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *