Município de MT terá duas eleições em 2020; Mandato de prefeito pode ser relâmpago

Reprodução

image

Os 4.300 mil eleitores do município de Lambari d’Oeste (a 322 km de Cuiabá) irão viver uma situação no mínimo inusitada neste ano de 2020: é que eles terão que escolher em um intervalo de 5 meses, por duas oportunidades, o novo comandante do Poder Executivo Municipal. Além disso, existe ainda a possibilidade do prefeito eleito ficar apenas 7 meses no cargo e ser substituído por outro. O explica:

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE/MT) estabeleceu que seja realizado uma eleição suplementar no município em decorrência da cassação do mandato do prefeito Edvaldo Alves dos Santos e do seu vice, Zaqueu Batista de Oliveira, por crime de compra de votos nas eleições de 2016.

Leia Mais – Prefeito e vice-prefeito de MT têm mandatos cassados

Conforme informações apuradas pelo , a Corte Eleitoral estabeleceu que a eleição suplementar para o cargo de prefeito e vice será realizada no dia 26 de abril, com a posse dos eleitos em maio. Cinco meses depois, em 04 de outubro serão realizadas as eleições municipais de Lambari d’Oeste, conforme estabelecido Calendário Eleitoral, para escolher mais uma vez prefeito e vice, e também os 9 vereadores que irão compor a próxima legislatura.

Desta forma, caso o prefeito e vice eleitos em abril, decidam não disputar a reeleição em outubro, eles podem ter um mandato relâmpago de apenas 7 meses se encerrando em 01 de janeiro de 2021.

O município de Lambari d’Oeste vivenciará um ano “eleitoral puro”, com possibilidade de alternância de poder na Prefeitura Municipal. Atualmente o presidente da Câmara Municipal, vereador Josivan Medeiros (PL), está como prefeito interino até a realização das eleições suplementares.