“Não tenho rancor e está perdoado”, diz mecânico sobre o seu agressor

Por Esportes & Notícias

O jovem João Paulo, 27 anos, que ficou conhecido nacionalmente na última quinta-feira (03) ao ser espancado e torturado dentro da própria oficina no município de Tangará da Serra (242 km de Cuiabá), disse que não guarda rancor do seu agressor e que o mesmo está perdoado.
João disse que, no dia dos fatos, Gustavo Henrique Albues chegou na oficina por volta de 13h40min acompanhado do amigo para fazer uma cobrança referente a uma dívida de prestação de serviços.
“O Gustavo chegou para cobrar uma dívida de R$ 1.200,00 a respeito de um serviço que eu tinha feito no carro dele, e eu falei que eu não tinha o dinheiro, ele estava meio alterado, não quis me escutar, eu quis mostrar para ele através do meu celular e ele não quis ver do mesmo jeito partindo para o meu rumo com agressões”, disse o jovem em entrevista ao programa Balança MT, exibido na TV Cidade Verde.
Aparentando ainda estar assustado, a vítima disse que no dia da prisão de Gustavo, não conseguiu assistir as matérias que foram exibidas sobre o caso, pois eles não precisariam estar passando por essa exposição.
João Paulo disse que no dia das agressões ele achou uma covardia muito grande por parte de Gustavo e achou que iria morrer, mas não pensou em correr ou reagir as agressões sofridas. Mesmo diante de toda humilhação sofrida, o mecânico disse que perdoa Gustavo e o comparsa que filmou as agressões e nada fez.
“Eu não tenho rancor. Se tivesse que pegar e fazer justiça alguma coisa, acho que a justiça já foi feita, eu ponho na mão de Deus e Deus decide o que faz. Eu por mim, tem passagem livre eles, por mim tá perdoado”, diz emocionado.