O cidado entendeu que Mendes o melhor para conduzir MT

Com um discurso em defesa da democracia feito nesta terça-feira (9), o governador Pedro Taques (PSDB), que concorreu sem sucesso à reeleição, afirmou que o cidadão mato-grossense entendeu que o grupo do governador eleito, Mauro Mendes (DEM), será o melhor para o conduzir o Estado nos próximos quatro anos.

 

Para o tucano, o cidadão não erra na hora de votar e “sabe muito bem” o que é melhor para o Estado.

 

“A respeito das eleições, eu quero agradecer todos os votos que tivemos, os apoiadores, prefeitos, vereadores, a militância, os voluntários e dizer que na democracia quem tem mais voto ganha eleição e é bom que assim seja”, disse.  

 

Abriremos, como não poderia ser diferente, todas as informações necessárias para que ele [Mauro Mendes] tenha o melhor mandato possível para o povo do Estado de Mato Grosso

“Teremos um tempo para saber o que erramos, um tempo para fazermos essa reflexão, mas com a certeza de que o cidadão não erra. O cidadão sabe o que é melhor para o Estado e ele entendeu nesse momento que o grupo conduzido pelo governador eleito Mauro Mendes é o melhor para conduzir Mato Grosso”, afirmou.

 

A declaração de Taques foi feita após uma reunião com seu secretariado no Palácio Paiaguás, na manhã desta terça. Na reunião, o governador definiu o secretário-chefe da Casa Civil, Ciro Rodolpho como o coordenador da sua equipe de transição de Governo.

 

Transição de Governo

 

Taques revelou, ainda, que já entrou em contato com Mauro Mendes para parabenizá-lo pela vitória e disse que ressaltou, na conversa, que a transição será feita “da melhor maneira possível”.

 

“Eu quero dizer a todos que hoje eu liguei para o governador eleito Mauro Mendes e o parabenizei pela vitória. Eu disse a ele que a nossa transição será feita da melhor maneira possível. Hoje mesmo eu já assino o decreto da transição. Na minha sucessão ao cargo de governador não tinha nada regrado, hoje já existe uma regra sobre isso, que é uma resolução do Tribunal de Contas do Estado e esta resolução será seguida”, revelou.

 

“Disse ainda ao governador eleito Mauro Mendes que estou pronto para recebê-lo aqui no Palácio na hora que ele entender, da melhor maneira possível. Frisei que abriremos, como não poderia ser diferente, todas as informações necessárias para que ele tenha o melhor mandato possível para o povo do Estado de Mato Grosso”, afirmou.

 

O governador finalizou dizendo que, a partir do dia 1º de janeiro do ano que vem, passará a cuidar de si e da sua família, mas que ainda assim, será um “soldado para ajudar Mato Grosso a superar as suas dificuldades”. 

 

“Quero dizer a todos aqui: eu sou um democrata. Existem erros na democracia? Existem falhas na democracia? Existem, mas isso só poderá ser combatido com mais democracia. Estou há 25 anos cuidando de problemas dos outros, 15 anos como procurador da República, 2 anos como procurador do Estado, 4 anos como senador e até 31 de dezembro quatro anos como governador de Mato Grosso. A partir de 1 de janeiro do ano que vem, terei a condição de cuidar só de mim e da minha família”, pontuou.