Olavo de Carvalho critica Bolsonaro: “Agora talvez seja tarde para reagir”

#infocoweb_cabecalho {
display: inline-block;
margin-top: -75px;
position: absolute;
right: 0;
}
figure.wp-caption{display:none!important;}

Guru do bolsonarismo, Olavo de Carvalho arrow-options
Reprodução/Youtube

Guru do bolsonarismo, Olavo de Carvalho

O escritor Olavo de Carvalho, considerado guru do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), criticou o político na noite desta quarta-feira (18) em seu Facebook. “Eleito para derrubar o sistema, o Bolsonaro, aconselhado por generais e políticos medrosos, preferiu adaptar-se a ele. Suicídio”, escreveu.

Leia também: Bolsonaro chama pandemia de “histeria” e critica medidas de isolamento

Olavo de Carvalho defende que Bolsonaro não teria seguido seus conselhos e que “agora talvez seja tarde para reagir. Lamento”. O escritor afirma que desde o início do mandato do presidente teria instruído que ele “desarmasse os seus inimigos” antes de resolver os problemas nacionais. Bolsonaro teria feito exatamente o contrário, segundo ele.

“Que é que o Bolsonaro fez contra QUALQUER dos seus inimigos? NADA. NADA NUNCA. Só lhes deu umas agulhadinhas, irritando-os em vez de enfraquecê-los”, afirmou. Atualmente, pedidos de impeachment de Bolsonaro começaram a ser realizados dentro do Congresso Nacional e pessoas têm realizado panelaços contra o presidente em capitais brasileiras . É um momento delicado para Bolsonaro perder o apoio do escritor, que é influente nas redes sociais.  

Olavo de Carvalho culpa o presidente por ter ouvido o que ele chama de ” generais e políticos medrosos”. “Deu ouvidos a generais isentistas, dando tempo a que os inimigos se fortalecessem enquanto ele se desgastava em lacrações teatrais”. 

Leia também: Familiares do homem morto por coronavírus estão internados em São Paulo

Há um forte conflito entre dois grupos de apoiadores do Bolsonaros: os militares e os olavistas – o segundo, influenciado por Olavo de Carvalho . Desde o início deste ano, o conflito se acentuou. Demissões de olavistas ocorreram da Secretaria de Cultura e houve a ascensão de militares no governo, como o caso do general Walter Braga Netto que assumiu o cargo de ministro da Casa Civil. 

Fonte: IG Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *