Pandemia e bruxismo: o estresse causado pelo coronavírus pode desencadear o problema

O bruxismo pode trazer graves consequências à saúde se não for tratado corretamente

A pandemia do coronavírus que atingiu o mundo em 2020 tem apresentado efeitos na população que vão além da infecção em si. Especialistas alertam para o impacto da doença na saúde mental: algumas pesquisas já indicam que a quarentena aumentou os casos de ansiedade e crises depressivas. O estresse também pode desencadear problemas na saúde bucal, como o bruxismo, uma disfunção involuntária que tem bastante relação com aspectos comportamentais. Afinal, a pandemia pode provocar ou mesmo agravar o quadro? Como melhorar os sintomas do bruxismo no dia a dia? Entenda essa relação e veja algumas dicas abaixo para melhorar os sintomas!

O que é o bruxismo?

O bruxismo é uma disfunção involuntária e funcional que se caracteriza pelo ato de apertar ou ranger os dentes durante o sono. Em alguns casos, o hábito também pode surgir quando o paciente está acordado, chamado de briquismo, principalmente se ele estiver passando por situações de estresse, pressão na vida pessoal e profissional ou ansiedade. Acredita-se que o bruxismo tenha origem genética, mas também pode estar relacionado a aspectos comportamentais e anatômicos da própria estrutura bucal.

A desordem costuma ser percebida com dores no maxilar, nos dentes, na gengiva e na cabeça. No entanto, o bruxismo também pode causar desgaste, quebra ou mesmo o amolecimento dos dentes com o tempo. Em condições mais graves, o problema provoca mudanças na estrutura óssea da mandíbula. Por isso, o bruxismo precisa de intervenção no estágio inicial, ou seja, quando os primeiros sinais começam a surgir, para evitar consequências mais graves.

Problemas emocionais gerados pela quarentena podem agravar o bruxismo

Em tempos difíceis, como a pandemia e a quarentena, os casos de bruxismo (que às vezes nem eram percebidos) podem ser agravados. Isso ocorre justamente pela relação do problema com distúrbios emocionais e psicológicos. Pacientes podem relatar o apertamento involuntário dos dentes durante o dia e dores faciais ao acordar. Se você tem sentido os dentes doloridos, acompanhado de dor na mandíbula e na cabeça, é importante buscar um dentista de confiança para relatar o problema e verificar possíveis tratamentos.

Como melhorar os sintomas do bruxismo em casa?

O bruxismo, em estágios iniciais, pode ser tratado de forma clínica com o uso de placas de acetato ou acrílico durante a noite – que impedem o ato de ranger ou apertar os dentes. No entanto, esse é um tratamento que deve ser feito em conjunto com terapias que trabalham a origem do problema. Ou seja, se você está muito estressado ou ansioso, é importante cuidar do lado emocional e psicológico para que o bruxismo não atrapalhe a sua vida.

A meditação, por exemplo, é uma técnica que pode ajudar bastante a desacelerar e liberar as tensões do corpo. Dentistas também recomendam massagens e exercícios faciais para distensionar a mandíbula e a cervical, principalmente antes de dormir. Em todo caso, o acompanhamento profissional é super importante para controlar o quadro e oferecer mais qualidade de vida ao paciente.

Por Redação