Pedido “emperra” na Cmara Federal; suplente teria interferido

Normal
0

21

false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin-top:0cm;
mso-para-margin-right:0cm;
mso-para-margin-bottom:10.0pt;
mso-para-margin-left:0cm;
line-height:115%;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-language:EN-US;}

Um requerimento apresentado pelo deputado federal Emanuel Pinheiro Neto, o Emanuelzinho (PTB), que prevê a criação de uma comissão externa para acompanhar o andamento da obra do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) está “emperrado” na Câmara.

 

O pedido foi feito no dia 10 do último mês. A ideia é formar a comissão para verificar as medidas que estão sendo tomadas pelo Governo do Estado diante da paralisação da obra, prevista para ser entregue em março de 2014.

 

Havia a expectativa de que a proposta fosse aprovada rapidamente pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), já que a comissão não impactará em custos a Casa. As reuniões, por exemplo, seriam realizadas em Cuiabá ou Várzea Grande por congressistas mato-grossenses.

 

Nos bastidores, comenta-se que uma vista do suplente de senador e ex-deputado federal, Fabio Garcia, ao presidente da Casa seria o motivo para que o requerimento “empacasse”.

 

Não acredito que um ex-deputado federal se prestaria a esse serviço. Prefiro crer no bom senso. De qualquer forma terça-feira estarei com o presidente Rodrigo Maia para discutirmos a comissão

Fabio é um dos nomes cotados pelo DEM para disputar a Prefeitura de Cuiabá em outubro do próximo ano, numa eventual candidatura de oposição ao prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), que é pai de Emanuelzinho e deve sair à reeleição.

 

Questionado se acredita em alguma movimentação do democrata para atrapalhar a abertura da comissão, o deputado Emanuelzinho disse que não.

 

“Não penso que um ex-deputado federal se prestaria a esse serviço. Prefiro crer no bom senso. De qualquer forma, na terça-feira estarei com o presidente Rodrigo Maia para discutirmos a comissão”, disse.

 

“Vi pela imprensa que o Fabio teria vindo conversar para tentar empacar. Não sei qual seria o medo. Mas marquei uma audiência com o presidente da Casa, sei que ele entende a importância desse debate, desse diálogo, por isso teremos essa conversa”, completou.

 

Crítica e Transparência  

 

O deputado Emanuelzinho ainda teceu algumas críticas à forma como o governo tem se posicionado em relação ao VLT.

 

Atualmente, a obra está sob análise de uma comissão montada pela Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana, do Ministério de Desenvolvimento Regional, em parceria com o Governo de Mato Grosso. O prazo é de 120 dias – contados desde agosto – para apresentar uma solução para o modal.

 

“O governador Mauro Mendes encomendou esse relatório técnico para a Secretaria Nacional para ver a viabilidade do VLT ou do BRT. Acontece que ele não levou nenhum deputado federal, estadual, ninguém sabe realmente como está sendo direcionado isso”, reclamou o deputado.

 

“Fora isso, ninguém sabe realmente os valores já gastos, o que ainda vai gastar. Pouca gente sabe já existe um financiamento de R$ 200 milhões com a Caixa. E, vários técnicos especialistas nos afirmaram – com relatórios técnicos – que apontam que terminar o VLT é mais barato que começar o BRT do zero”, emendou.

 

Ele disse ainda que a ideia da comissão é dar transparência à discussão em torno do assunto.

 

Se aprovado o requerimento, também participariam da comissão externa os deputados Rosa Neide (PT), Dr Leonardo (Solidariedade) e Juarez Costa (MDB). Além disso, são chamados para o debate senadores da bancada de Mato Grosso, prefeituras de Cuiabá e Várzea Grande, dentre outros.

 

“Não só dar transparência ao assunto, mas a ideia é ajudar o Governo, se necessário, alocar recursos por meio de emendas de bancada. Enfim, acreditamos que o presidente vai aprovar esse requerimento, até para não perdermos o ‘time’ dos trabalhos. Quero somar nesse trabalho com o governo e tenho certeza que o governo preza pela transparência e pelo diálogo com a sociedade e seus representantes”, concluiu Emanuelzinho.