‘Perdemos a batalha, mas a guerra continua’, diz Neymar após derrota do PSG

Foi apenas uma batalha perdida. A guerra continua. Assim Neymar definiu o revés do Paris Saint-Germain para o Manchester City por 2 a 1, em Paris, pelo jogo de ida da semifinal da Liga dos Campeões. O resultado fez com que o PSG tenha de vencer por dois gols na Inglaterra ou por um, desde que seja no mínimo por 3 a 2.


“Perdemos a batalha, mas a guerra continua. Eu acredito na minha equipe, acredito que podemos ser melhores do que fomos. Vai Paris!”, escreveu Neymar nas redes socais pouco depois do jogo, quando não conseguiu ter uma atuação destacada. “1% de chance 99% de fé.”

O discurso foi reforçado pelo zagueiro Marquinhos. “Se não acreditarmos, não adianta fazer a viagem. Precisamos de uma mentalidade de guerreiro para seguir em frente. Estamos muito perto. Não devemos ter dúvidas agora”, afirmou o jogador, em entrevista à TNT Sports

Para o autor do gol do PSG, o time não conseguiu repetir no segundo tempo o mesmo desempenho do primeiro, quando foi melhor do que o Manchester City e abriu 1 a 0. A equipe inglesa voltou melhor com modificações realizadas pelo técnico Pep Guardiola e virou o placar.

“A gente acabou não conseguindo sair no segundo tempo. A equipe do City foi muito agressiva. Não encaixamos bem o contra-ataque, não conseguimos colocar nossa estratégia em campo. Também tivemos dificuldades em outras partidas, hoje acabamos sofrendo dois gols. São detalhes. Liga dos Campeões é assim”, afirmou. “Ainda temos os 90 minutos pela frente. Temos de fazer melhor para passar à final.”

Pelo lado do Manchester City, Guardiola se mostrou satisfeito com o rendimento da equipe, mas lembrou que ainda há o segundo jogo. A partida de volta da semifinal aconteceu na próxima terça-feira, na Inglaterra.

“De maneira geral, estou satisfeito. Mas foi só metade do caminho. Ainda temos mais 90 minutos e, contra o PSG, tudo pode acontecer”, afirmou o treinador, também em entrevista à TNT Sports.

Para o técnico, o comportamento da equipe no primeiro tempo, quando foi dominada pelo PSG, aconteceu por causa da falta de experiência da maioria do grupo. “Para muitos dos nossos jogadores, é a primeira vez numa semifinal (de Liga dos Campeões). Às vezes, você precisa de tempo para ficar mais relaxado, ser você mesmo. É normal a atuação no primeiro tempo, são 180 minutos. A gente mudou um pouco a forma de pressionar e foi mais agressivo.”

Em entrevista à SkySports, Guardiola explicou o que fez para conter o ataque do PSG. “Precisávamos travar o jogo e reduzir o ritmo, porque se você faz um jogo aberto contra Mbappé e Neymar, eles te matam. Vimos contra o Bayern, são 10 mil vezes melhores que nós com o campo aberto. Tínhamos de jogar assim”, disse o espanhol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *