Pesquisa internacional mostra maior desconfiança nas vacinas de Rússia e China contra Covid-19

Pessoas em todo o mundo estão dispostas a tomar vacina contra Covid-19, mas desconfiariam mais das vacinas feitas na China ou na Rússia do que aquelas desenvolvidas na Alemanha ou nos Estados Unidos, mostrou uma pesquisa nesta sexta-feira.

A pesquisa, conduzida pela empresa YouGov e compartilhada exclusivamente com a Reuters, revelou que britânicos e dinamarqueses estavam mais dispostos a tomar a vacina contra Covid quando estivesse disponível para eles, enquanto franceses e poloneses eram mais propensos a hesitar.

Baseada em perguntas feitas a quase 19.000 pessoas, a sondagem também mostrou que a disposição para tomar a vacina contra Covid-19 tem melhorado em muitos países nas últimas semanas, no momento em que vacinas desenvolvidas por empresas nos Estados UnidosRússiaChinaAlemanha Reino Unido estavam começando a ser distribuídas e administradas em vários países da Europa, América do Norte e Ásia.

No Reino Unido, 73% das pessoas disseram que seriam vacinadas, enquanto na Dinamarca o número era de 70%.

Nos Estados Unidos, no entanto, pouco menos da metade dos entrevistados disseram que gostariam de receber uma vacina contra Covid-19, um número que se manteve praticamente estável desde julho.

Mais de um terço das pessoas pesquisadas na Polônia e quase metade na França –37% e 48%, respectivamente– afirmaram não querer tomar a vacina.

A confiança nas vacinas será um fator-chave nos esforços dos governos para reduzir a taxa de infecções na pandemia de coronavírus SARS-CoV-2, que infectou mais de 92 milhões de pessoas em todo o mundo e matou pelo menos 1,98 milhão em cerca de um ano.

Vacinas
Nos Estados Unidos, no entanto, pouco menos da metade dos entrevistados disseram que gostariam de receber uma vacina contra Covid-19, um número que se manteve praticamente estável desde julho (Imagem: REUTERS/Ivan Alvarado/File Photo)

Um estudo publicado por pesquisadores sobre confiança em vacinas em novembro revelou que teorias da conspiração e desinformação alimentam a desconfiança e podem empurrar as taxas de aceitação da vacina contra Covid-19 abaixo dos níveis necessários para proteger as comunidades contra a doença.

A pesquisa YouGov de sexta-feira mostrou que, embora minorias consideráveis em muitos países tenham dito que não tomariam a vacina contra Covid-19 agora, a maioria deu como justificativa preferir esperar para ver se as vacinas são seguras, e poucos eram impulsionados por visões “antivacina”.

Com a produção e distribuição da vacina contra Covid-19 começando a aumentar, a pesquisa YouGov também questionou sobre a obrigatoriedade da vacinação –uma política em discussão por alguns governos para tentar imunizar o máximo possível de pessoas.

Esse movimento foi mais popular na Índia com 77%, Indonésia com 71% e México com 65%. Os britânicos estavam divididos, com 40% de apoio e 42% de oposição, os norte-americanos tendiam a se opor à ideia, com 46% em comparação com apenas 29% que apoiariam a obrigatoriedade das vacinas.

Por Redação