Peste suína africana: Alemanha confirma caso fora de área mapeada

O caso foi detectado em um javali selvagem, mas deixa criadores em alerta porque a doença pode passar para o rebanho suíno comercial

Um novo caso de peste suína africana foi identificado em um javali, na Saxônia, fora da área de risco definida anteriormente pela Alemanha, mas dentro da chamada “zona-tampão” existente para a epidemia atual, informou o Ministério Federal da Alimentação e Agricultura do país nesta segunda-feira, 25.

O Laboratório Nacional de Referência – Instituto Friedrich Loeffler – detectou a doença em uma amostra de animal encontrado morto no distrito de Görlitz (Rothenburg).

O estado da Saxônia deve agora revisar as zonas de restrição existentes e as medidas de proteção, para de evitar maior propagação da doença.

As populações de suínos domésticos na Alemanha ainda estão livres da peste suína africana. A ministra Federal da Alimentação e Agricultura, Julia Klöckner, apelou ao Estado da Saxônia para que proteja seus rebanhos. “Nosso objetivo é conter a epidemia e evitar que ela se espalhe para a população de suínos domésticos.”

Os suínos domésticos criados ao ar livre devem ser isolados do lado de fora da melhor forma possível, evitando contato com javalis ou alimentos contaminados. “Um surto na população de animais domésticos teria consequências devastadoras e milhares de animais teriam que ser sacrificados”, alertou a ministra.

A peste suína africana é facilmente transferida entre javalis e porcos por meio de fluidos corporais, mas é inofensiva para humanos.

Por Redação