Pocah revela que tem distúrbio do sono: ‘importante compartilhar’

PIRASSUNUNGA, SP (FOLHAPRESS) – O comportamento de Pocah, 26, durante o BBB 21 chamou atenção de quem a acompanhava no reality que foi ao ar na Globo no começo do ano. A cantora aparentava dormir bastante, e chegou a dizer que fazia isso para fugir da dor que sentia: ela se sentia excluída pelo resto da casa.


Agora, a funkeira usou sua conta no Twitter para revelar que possui um distúrbio do sono. Na rede social, ela se abriu sobre sua saúde.
“Vocês já ouviram falar em Narcolepsia? É um distúrbio do sono. Pois é! Descobri que tenho. Estou tratando isso e algumas outras coisas como TDAH e ansiedade. Desculpa não estar tão ativa aqui como antes e não postar com tanta frequência nas redes”, escreveu Pocah no Twitter.

“Minha prioridade agora está sendo cuidar de mim. Para que quanto antes eu possa retomar a minha vida ‘normal’. Achei importante compartilhar isso com vocês”, continuou a cantora.

Após a revelação, diversos seguidores prestaram apoio à funkeira. Um chegou a revelar que tinha um peso na consciência. “Agora estou me sentindo culpada por ter rido dos memes dela dormindo no BBB”, escreveu uma seguidora.

PRIMEIRO ÁLBUM
Cada vez mais dona da própria carreira, Pocah prepara seu primeiro álbum para este ano e lançou recentemente a música “Muito Prazer”, o primeiro single do novo trabalho. Em paralelo, tem usado cada oportunidade que tem para se posicionar, algo que nem todos os famosos estão dispostos a fazer em um momento de intensa polarização no país.

Foi assim quando o clipe da nova canção foi censurado pelo YouTube, no dia do lançamento. O vídeo, que tem cenas sensuais, mas nada fora do padrão do pop atual, teve seu alcance limitado pela plataforma. A cantora apontou a ironia que é isso acontecer justamente com o clipe de uma música sobre a liberdade da mulher.

“Tem bunda? Tem”, diz a cantora ao F5. “Mas essa bunda tem muito para falar. Ouço muitos relatos de que a minha música faz diferença na vida de algumas pessoas. ‘Muito Prazer’ é um grito de liberdade, é para discutir por que a mulher não pode falar sobre sexo.”