Policiais militares e comparsas que pretendiam roubar banco são soltos por delegado

Um cabo e um subtenente da Polícia Militar que atuam na região metropolitana do estado, foram presos no último sábado (12) juntamente com dois comparsas, na cidade de Campo Novo dos Parecis (385 km de Cuiabá) após serem denunciados que pretendiam roubar um banco no município.
De acordo com o boletim de ocorrências, a equipe da Força Tática que estava na região recebeu a denúncia sobre uma quadrilha especializada em roubo a bancos que estaria na cidade. Os policiais receberam a informação que quatro suspeitos armados teriam se hospedado em um hotel.
Em posse das informações os policiais foram até o hotel e conversou com uma funcionária que disse que os suspeitos estavam em dois veículos, sendo uma S-10 e um HB20 e dois dos hóspedes não quiseram realizar o check in no hotel.
Durante as buscas nos suspeitos, os policiais da Força Tática identificaram dois possíveis criminosos como policiais militares. Os policiais estavam com as suas armas registras e questionados sobre o que faziam na cidade, o subtenente disse que fariam a segurança em uma propriedade rural e que ele possui uma empresa legalizada de segurança.
A equipe da Força Tática realizou buscas no quarto onde os suspeitos estavam hospedados e encontrou 21 munições, sendo quatro deflagradas, e oito munições de calibre 9 milímetros. Ainda no hotel foram encontradas mais munições, dois carregadores e outras 30 munições.
Questionados se havia algum material ilícito, o cabo informou que tinha uma pistola sem registro embaixo do banco de seu veículo. Na caminhonete S-10 foram encontradas algumas ferramentas, várias delas de construção, além de um pé de cabra, duas furadeiras com extensão, um monóculo, um intermitente vermelho.
Diante da situação o quarteto foi levado para a delegacia para ser prestado esclarecimentos ao delegado Honório Gonçalves dos Anjos Neto, que acabou liberando os envolvidos por falta de provas.
O delegado disse que os dois comparsas dos PMs já possuíam passagens criminais, sendo um por tráfico de drogas e o outro por estouro de caixa eletrônico no Piauí.
“Como o único indício de crime ali era só a irregularidade da arma que o policial estava portando, a gente lavrou o flagrante pelo artigo 14 e estabeleceu a fiança. As demais armas que eles estavam eram regulares e devolvemos as armas e munições legalizadas” disse Honório.
Corregedoria acompanha
A Polícia Militar, por meio da corregedoria, emitiu uma nota alegando que está acompanhando a situação, e que o crime praticado pelos militares foi fora do expediente.
“A Corregedoria Geral da Polícia Militar informa que recebeu do 7º Comando Regional a documentação e informações relacionadas à ocorrência deste sábado(12.12), em Campo Novo dos Parecis, envolvendo um cabo e um subtenente da PM e que vai instaurar procedimento administrativo, uma sindicância, para apurar a conduta dos policiais.
Informa ainda, que por se tratar de ocorrência fora do exercício da função militar a apuração criminal e as medidas adotadas, como a atribuição de fiança e liberação dos policiais, são de competência da Polícia Civil Judiciária.”