Por maioria, AL aprova contas de Taques com 21 irregularidades

Por 18 votos a 5, os deputados estaduais decidiram aprovar as contas do ex-governador Pedro Taques (PSDB), referentes ao exercício 2018. A votação ocorreu na sessão noturna desta sexta-feira (11).

 

A relatora do balancete, Janaina Riva (MDB), não esteve presente na votação por conta de uma licença médica. Ela havia pedido a reprovação por conta de 21 irregularidades encontradas.

 

Por essa razão, a defesa da reprovação foi feita pelo deputado Valdir Barranco (PT). Entre as argumentações, o petista citou o relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Fundeb, que detectou que a gestão reteve mais de R$ 500 mil do fundo destinado à Educação.

 

Foi um desvio de R$ 500 mil do Fundeb. Isso não foi nem uma pedalada, foi uma bicicleta

“Foi um desvio de R$ 500 mil do Fundeb. Isso não foi nem uma pedalada, foi uma bicicleta. E fiz questão de trazer aqui a opinião do próprio Taques sobre pedalada, quando do golpe contra Dilma Roussef: ‘Sou favorável ao cumprimento da Constituição. Quem comete crime fiscal, deve ser afastado’. É por isso que essas contas não devem prosperar”, disse ele.

 

Ainda em seu discurso, Barranco destacou a Operação Rêmora, que encontrou desvios em obras escolares do Estado. E citou que mesmo o Tribunal de Contas (TCE-MT) apontando inúmeros erros ao longo da Gestão, Taques continuou a cometê-los.

 

O deputado Wilson Santos (PSDB), que foi líder do tucano na Assembleia, negou que a gestão passada tenha cometido qualquer desvio do Fundeb. Disse que, na verdade, houve atraso nos repasses.

 

Além disso, ele citou que Taques enfrentou a maior crise econômica vivida por Brasil.

 

Com a aprovação de suas contas, Taques não se torna inelegível e está apto a disputar qualquer processo eleitoral.

 

Leia mais sobre o assunto:

 

Janaina: AL deve fazer análise independente e cumprir seu papel

 

Deputado pede vista e adia decisão sobre contas de Taques