Preço do boi gordo segue firme no mercado brasileiro; veja as cotações

O mercado físico de boi gordo registrou preços estáveis nesta quarta-feira.  Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, os frigoríficos operam com escalas de abate posicionadas entre quatro e cinco dias úteis em média, no entanto, sem condições para exercer pressão sobre o mercado neste momento. 

“Animais que cumprem os requisitos de exportação com destino ao mercado chinês ainda carregam ágio de aproximadamente R$ 5 em relação a animais destinados ao mercado doméstico”, assinalou. 

Um relevante foco de atenção está na situação da suinocultura chinesa. “O governo local sinaliza para a recomposição quase plena de seu plantel de suínos e, assim, os preços domésticos cedem de maneira acelerada, um sintoma bastante nítido de avanço do volume ofertado. Este ambiente pode representar uma atuação mais discreta da China na importação de proteína animal”, disse Iglesias. 

Com isso, em São Paulo, Capital, a referência para a arroba do boi ficou em R$ 318 – R$ 119, na modalidade à prazo. Em Goiânia (GO), a arroba teve preço de R$ 305 a arroba, estável. Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 311. Em Cuiabá, a arroba ficou indicada em R$ 309, inalterada. Em Uberaba, Minas Gerais, preços a R$ 312 a arroba estável.

Atacado

Já no mercado atacadista, os preços da carne bovina seguem firmes. Conforme Iglesias, o ambiente de negócios sugere menor espaço para reajustes no decorrer da segunda quinzena do mês, período que conta com menor apelo ao consumo. “É importante mencionar que o consumidor brasileiro ainda optar por proteínas mais acessíveis, a exemplo da carne de frango, situação compreensível avaliando a atual situação macroeconômica”, disse ele.

Com isso, o corte traseiro teve preço de R$ 20,75 o quilo. O corte dianteiro teve preço de R$ 17,50 o quilo, assim como a ponta de agulha. 

O mercado físico de boi gordo registrou preços estáveis nesta quarta-feira.  Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, os frigoríficos operam com escalas de abate posicionadas entre quatro e cinco dias úteis em média, no entanto, sem condições para exercer pressão sobre o mercado neste momento. 

“Animais que cumprem os requisitos de exportação com destino ao mercado chinês ainda carregam ágio de aproximadamente R$ 5 em relação a animais destinados ao mercado doméstico”, assinalou. 

Um relevante foco de atenção está na situação da suinocultura chinesa. “O governo local sinaliza para a recomposição quase plena de seu plantel de suínos e, assim, os preços domésticos cedem de maneira acelerada, um sintoma bastante nítido de avanço do volume ofertado. Este ambiente pode representar uma atuação mais discreta da China na importação de proteína animal”, disse Iglesias. 

Com isso, em São Paulo, Capital, a referência para a arroba do boi ficou em R$ 318 – R$ 119, na modalidade à prazo. Em Goiânia (GO), a arroba teve preço de R$ 305 a arroba, estável. Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 311. Em Cuiabá, a arroba ficou indicada em R$ 309, inalterada. Em Uberaba, Minas Gerais, preços a R$ 312 a arroba estável.

Atacado

Já no mercado atacadista, os preços da carne bovina seguem firmes. Conforme Iglesias, o ambiente de negócios sugere menor espaço para reajustes no decorrer da segunda quinzena do mês, período que conta com menor apelo ao consumo. “É importante mencionar que o consumidor brasileiro ainda optar por proteínas mais acessíveis, a exemplo da carne de frango, situação compreensível avaliando a atual situação macroeconômica”, disse ele.

Com isso, o corte traseiro teve preço de R$ 20,75 o quilo. O corte dianteiro teve preço de R$ 17,50 o quilo, assim como a ponta de agulha. 

Canal Rural © 2020 Todos os direitos reservados.

Canal Rural © 2020 Todos os direitos reservados.