Prefeitura paga o 13 e abre dilogo e mdicos adiam paralisao

Os médicos de Cuiabá decidiram, por unanimidade, ficar em estado de assembleia permanente até que haja o encontro com prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), agendado para a tarde desta sexta-feira (10).

 

A decisão foi tomada em assembleia geral realizada pelo Sindicato dos Médicos de Mato Grosso (Sindimed) na noite desta quarta-feira (8), em que foi discutida uma possível paralisação dos médicos de Cuiabá.

 

Conforme o diretor de comunicação do Sindimed, o médico Adeildo Lucena, o prefeito entrou em contato com o sindicato e agendou a reunião assim que soube da assembleia. Além disso, cumpriu parte das reivindicações.

 

“Tem praticamente um ano que o sindicato está pedindo por ofício para que o prefeito ou o secretário de Saúde recebesse a diretoria para discutir assuntos como falta de condições de trabalho, falta de medicamentos e falta de médicos nas unidades de saúde nos plantões, e nunca éramos recebido”, disse Lucena.

 

“Não temos interesses políticos só queremos que os assuntos da saúde de Cuiabá sejam resolvidos. Sabemos que a Prefeitura está investindo em estrutura física, mas sem pessoal e sem condições de trabalho como medicamentos a saúde não melhora”, completou. 

 

Uma das demandas dos médicos foi atendida parcialmente. Segundo o sindicato, parte dos servidores não havia recebido o 13º salário referente a 2019. No entanto, a Prefeitura já realizou o pagamento nesta semana.

 

“Aguardamos que essa seja o início das negociações com a Prefeitura. O Sindimed não vai deixar de atuar em defesa dos médicos”, finalizou Adeildo.

 

A reunião foi marcada para sexta-feira, às 15h, no Palácio Alencastro, sede da Prefeitura de Cuiabá.